segunda-feira, 16 de abril de 2018

Ponto de Opinião: Teorias da conspiração competem espaço com o protagonismo da F1 em 2018

STR cria polêmica com acidente na China (Foto: Reprodução)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


A temporada 2018 da Fórmula 1 começou muito competitiva. O domínio da Mercedes nos últimos anos abriu espaço para a chegada da Ferrari e Red Bull e a queda brusca da Willians. McLaren ainda busca seu espaço no pelotão complementar, acompanhada de Force India e da surpreendente Haas.

Entretanto, é neste ponto de "surpresas" que a categoria abriu espaço para as chamadas “teorias da conspiração”. O crescimento da Haas foi motivo de questionamento das equipes maiores, que argumentaram que a Ferrari, fornecedora de motores para a novata equipe, estaria auxiliando no desenvolvimento potencial. Um trabalho em conjunto que criou certa “inveja” na concorrência.

Agora, a mais nova teoria foi o acidente entre os dois carros da Toro Rosso (STR), que culminou em um safety car no final da corrida do último fim de semana, na China. Liderando as últimas voltas, Daniel Ricciardo, da Red Bull (RBR), chegou no lugar mais alto do pódio. A especulação é que o acidente foi uma combinação entre RBR e STR para Ricciardo vencer a prova no momento da troca de pneus.

Em poucas corridas realizadas na temporada, a Fórmula 1 de 2018 já se supera no quesito “frescura”. Por mais que possa existir um suposto esquema entre as equipes, por enquanto nada de ilegal foi constatado. Como em todas as competições, cada adversário se utiliza de suas “armas” para chegar na frente. E, coincidentemente, a equipe que mais reclamou foi a Mercedes. Parece que perder a hegemonia conquistada nos últimos anos criou uma “dor de cabeça” na montadora.

O que resta é esperar o decorrer do campeonato. O equilíbrio é nítido e as corridas estão sendo disputadas ponto a ponto. Será este o início de uma Fórmula 1 mais emocionante e competitiva, como nos velhos tempos? Veremos.