domingo, 29 de abril de 2018

RBR culpa ambos os pilotos por batida no GP do Azerbaijão: "Acidente de corrida"

(Foto: Reuters)


A corrida entre a dupla da RBR começou tensa no GP do Azerbaijão, neste domingo. Logo nas primeiras curvas, Daniel Ricciardo e Max Verstappen tocaram rodas, dando um prenúncio do acidente que tiraria os dois carros da prova na volta 39.

Na disputa pelo quarto lugar, Ricciardo vinha atrás, na reta principal, de asa móvel aberta e por fora no traçado. Mais rápido, o australiano escolheu mergulhar por dentro, mas Verstappen defendeu. Na hora de voltar para a parte de fora, já não havia mais tempo e, sem pressão aerodinâmica para frear o carro com eficiência, Ricciardo fritou os pneus e encheu a traseira do companheiro. Fim de prova para ambos e muitos pontos perdidos para o time.

Falando em nome da RBR, Helmut Marko culpou ambos pela batida que definiu como "acidente de corrida", mas classificou o incidente como inacreditável.

- Nós deixamos os pilotos correrem livremente e eles fazem isso. Inacreditável. Os dois estão errados. Foi um acidente de corrida entre eles, não tem alguém mais culpado que o outro. Sempre deixamos eles correrem, não temo um número 1 ou um número 2, mas esperamos responsabilidade. Eles tem cérebro para evitar coisas assim - dispara Marko.

Até mesmo o perfil oficial da RBR no Twitter fez um post ressaltando que lá não existem ordens de equipe.

- Aqui não temos ordens de equipe, mas você precisa jogar limpo. Sem culpa para um dos pilotos, ambos competem de maneira dura e querem vencer. Um GP do Azerbaijão para esquecer, mas ambos se desculparam e agora vamos para a Espanha.

Ao final da corrida, Verstappen falou com as equipes de TV e colocou panos quentes, sem apontar culpados. Contudo, o piloto acha que ordens de equipe não seria o caminho correto para a RBR neste momento.

Confira o acidente entre os dois pilotos:




- É muito ruim para o time, perdemos muitos pontos hoje de maneira desnecessária. Não acho que precisamos apontar culpados, porque no fim do dia corremos para o mesmo time. Estamos representando várias pessoas e quando isso acontece, não é nada bom. Antes disso, estávamos disputando posições acirradamente, mas de maneira limpa, dando espaço. Chegamos a tocar rodas, mas é normal, faz parte da corrida. Como piloto, você procura cada espaço, mas claro que não legal bater no companheiro. Não acho que nos proibir de correr é a maneira correta, mas vamos ver o que acontece - afirma Verstappen.

Ricciardo repetiu o discurso de Verstappen sobre não apontar culpados, e explicou o seu ponto de vista sobre o ocorrido.

- Eu achei que tinha espaço dentro e, uma vez que me comprometi com essa linha, não tinha o que fazer. Não estamos pensando um no outro neste momento. Agora é hora de pedir desculpas para o time da melhor maneira possível. Não queremos estar numa situação assim… me deixa para baixo. Sou grato por nos deixarem correr, especialmente eu e Max que adoramos disputas. E isso é bom. Claro que ficamos colados em vários momentos, até com toques, no limite. Infelizmente terminamos desta maneira, o que não é legal. Ambos nos sentimos mal por isso e pelo time - disse Ricciardo.

Pilotos terão de ir à fábrica pedir desculpas antes da próxima corrida

De acordo com o chefe da equipe, uma das medidas impostas aos pilotos é fazer com que ambos compareçam à fábrica da RBR, em Milton Keynes, na Inglaterra, antes da próxima corrida, o GP da Espanha.

- Tenho certeza que em Barcelona eles estarão bem. Ambos estão com o rabinho entre as pernas, dá para ver pela linguagem corporal. Eles terão de ir à fábrica para se desculparem com toda a equipe antes da corrida em Barcelona.

Globo Esporte