terça-feira, 24 de abril de 2018

Ricciardo teria assinado pré-contrato com Ferrari. RBR vai esperar até agosto

(Foto: Reprodução)


Os rumores de um futuro casamento entre Daniel Ricciardo e Ferrari aumentam progressivamente a cada etapa da temporada 2018. Ficaram ainda mais latentes após à incrível vitória do australiano no GP da China. E de acordo com o analista de F1 da "Sky Sports", escrevendo para o site "Motorsport Online", a especulação tem fundamento: piloto e Ferrari teriam assinado um pré-contrato em que ambas as partes não podem negociar com mais ninguém até o fim de junho, na tentativa de chegar a um acordo.

- Existem diversos tipos de contratos, mas ao que tudo indica, este serve para ambos os lados até um data definida (30 de junho). Até esta data, nenhum dos dois lados pode negociar com outras partes de maneira oficial. Porque piloto está efetivamente se retirando do mercado durante esse período. As negociações para os seus serviços após 2018 são de propriedade do time (neste caso, a Ferrari) por contrato. Por isso, ele receberá uma taxa. Entre agora e o término do pré-contrato, ele e Ferrari podem negociar um vínculo futuro. Isso é praxe na F1. Aqueles que têm acesso a estes assuntos na RBR confirmam que ele assinou algo em outro lugar, mas que não foi com a Mercedes. Logicamente, só pode ser a Ferrari - explica Hughes no "Motorsport".

E ao que parece, Ricciardo pretende aumentar e muito os seus ganhos em seu próximo contrato. O piloto recebe hoje algo em torno de seis milhões de euros na RBR por temporada (cerca de R$ 25 milhões), mas estaria pedindo em seu novo contrato 18 milhões de libras por ano (R$ 85 milhões), pelo período de duas temporadas (ou seja um total de R$ 170 milhões pela duração o vínculo).

- Eu não quero assinar nada muito longo porque não sei qual a direção que o esporte está tomando. Sinto que as coisas estão acontecendo muito rapidamente. A cada ano algo pode mudar, então não quero me amarrar por mais quatro anos. O ideal seria assinar um contrato de dois anos. Eu creio que ficaria confortável em um contrato de dois anos e, a partir daí, posso ver o que acontece. No terceiro ano teríamos a mudança de regulamento, e aí veria o que faria a parti de lá - afirmou ao "The Times" na semana passada.

De olho nas movimentações entre seu piloto a Ferrari, o chefe da RBR, Christian Horner, afirmou que o time vai esperar a decisão de Ricciardo, mas apenas até agosto, quando a Fórmula 1, realiza sua tradicional pausa no campeonato.

- Precisamos de uma decisão até as férias de verão (na Europa) no mais tardar… Não queremos esperar para sempre, temos outras boas opções. Nossa prioridade é continuar trabalhando com Daniel. Se isso não funcionar, acionaremos as outras opções. A mais óbvia seria o Carlos Sainz, ele tem contrato conosco. E aí temos alguns jovens pilotos - afirma Horner.

Ainda pela RBR, Ricciardo volta neste fim de semana para o palco de uma de suas vitórias na F1, no GP do Azerbaijão. A primeira vez que os carros tocam a pista no Circuito de Rua de Baku será na manhã desta sexta-feira, às 6h.

Globo Esporte