Pietro Fittipaldi negociava teste com Haas na F1 antes de acidente em Spa

(Foto: Reprodução)


O ano de Pietro Fittipaldi vinha tendo de tudo. Para adquirir o máximo de experiência em diferentes tipos de carro, o brasileiro planejou a disputa de três campeonatos, o da Fórmula Indy, o da Super Formula no Japão, e do Mundial de Endurance (WEC), pelo qual sofreu um forte acidente há seis dias nos treinos para a prova de Spa-Francorchamps (Bélgica).

Além disso, Pietro, que teve fraturas na perna esquerda e no tornozelo direito, estava em vias de experimentar mais um tipo de carro: um Fórmula 1 da equipe Haas. Quem confirmou a negociação foi o chefe da equipe americana, Gunther Steiner.

- Não havia nada definido. Ele nos contatou, eu conheço seu avô Emerson, e eles apenas disseram: "Podemos fazer algo juntos?" Nós não paramos de falar (depois do acidente), mas paramos de falar sobre (um teste) porque não sabemos o que pode ser feito. Ele está bem no caminho para a recuperação. É a coisa mais importante para mim - disse Steiner em Barcelona, nesta quinta-feira.

Steiner deixou claro que não houve nenhuma discussão a respeito de vaga no time, seja como titular ou piloto de testes. Sobre uma retomada de conversas para o teste, o dirigente foi um tanto enigmático:

- Eu poderia dizer sim para tudo ou não para tudo, porque não sei.

Na quarta-feira, o tio de Pietro, o ex-piloto italiano Max Papis, postou uma foto com o sobrinho no hospital. Tão logo receba alta, Fittipaldi seguirá sua recuperação nos Estados Unidos e existe uma primeira estimativa de retorno em 60 dias, talvez a tempo de correr a prova da Indy em Mid-Ohio, no fim de julho. Diante disso, uma possível participação de Pietro no teste de jovens pilotos da F1, na Hungria, é improvável.

Haas em 2018: da euforia à decepção

Apesar de demonstrar muito potencial e velocidade com o modelo VF18 desde a pré-temporada, a Haas vem tendo um campeonato decepcionante em 2018, e ocupa uma modesta oitava posição no Mundial de Construtores.

Na Austrália, poderia ter acabado em quarto e quinto com seus pilotos, mas erros nos pit stops tiraram Romain Grosjean e Kevin Magnussen da corrida. No Barein, Magnussen marcou um bom quinto lugar, e na China o dinamarquês somou um ponto com a décima posição.

Já Romain Grosjean vem tendo uma temporada errática, culminando com a batida em regime de safety car no Azerbaijão. O francês ainda não marcou nenhum ponto no campeonato.

Globo Esporte