sábado, 19 de maio de 2018

Regra da Fifa pode desfalcar clubes brasileiros e romper sigilo de lista de Tite

(Foto: Agencia i7)


Há um impasse a ser resolvido entre Fifa e CBF que pode interferir na vida de clubes brasileiros nas próximas semanas. O artigo 45 do regulamento da Copa do Mundo determina que os jogadores inscritos na lista provisória não podem estar em atividade a partir da próxima segunda-feira.

Isso abrange os pré-convocados por todas as seleções. Ou seja, no caso do Brasil, atingiria aqueles que não vão à Rússia, mas foram incluídos na lista de 35, casos dos zagueiros Dedé, do Cruzeiro, e Rodrigo Caio, do São Paulo – que vai passar por uma cirurgia no pé esquerdo. Caso isso tenha de ser cumprido, eles podem perder de três a sete jogos do Campeonato Brasileiro.

O regulamento da Copa diz que uma circular determinaria prazos de descanso aos convocados. Esse documento foi publicado no dia 30 de março de 2017, assinado pela senegalesa Fatma Samoura, secretária-geral da Fifa, e estipulou 20 de maio como data final para que os atletas defendam seus clubes.

É bom lembrar que apenas no dia 4 de junho as seleções vão enviar a lista definitiva com 23 nomes. Até lá, três rodadas do Brasileirão serão disputadas. E daí até o início da Copa, mais quatro.

Nesse prmeiro período, a Fifa trata os pré-inscritos em condições de igualdade. Tite já separou seus escolhidos, assim como a França e a Inglaterra, mas outras seleções fizeram convocações prévias, com 28, 30, até 35 nomes, caso da Argentina, e só mais adiante definirão os cortes.

O que diz a CBF?

Consultada pela reportagem do GloboEsporte.com, a Confederação respondeu, por meio da assessoria de imprensa, que apenas 23 jogadores foram convocados no procedimento padrão. Os outros 12 não foram sequer notificados, tampouco seus clubes, o que não configura uma convocação. Entretanto, admite que os 35 nomes foram pré-inscritos, sem diferenciações.

É isso que a CBF defende para que os suplentes possam atuar por seus clubes. Há três rodadas agendadas no Campeonato Brasileiro entre o início do período de descanso, dia 21 de maio, e o envio da lista definitiva, dia 4 de junho.

Uma consulta foi feita à Fifa, mas a resposta não foi conclusiva. A entidade disse que todos os 35 jogadores estão sujeitos, porém não limitados ao período de descanso, e também a processos disciplinares e até exames antidoping. A CBF questionou o significado. Quer ter certeza se os atletas estão ou não liberados, e fará todo o esforço possível para isso acontecer.

Liga dos Campeões e Libertadores

A participação de jogadores na final do principal torneio europeu, marcada para o próximo dia 26, já estava assegurada desde o primeiro documento.

Uma segunda circular, datada de 19 de maio de 2017, estendeu por uma semana esse prazo, ou seja, até 27 de maio deste ano, mediante pedidos de "exceções especiais" a jogos válidos por ligas principais e finais de copas. Esses pedidos deveriam ter sido feitos até 15 de junho de 2017.

A CBF não fez. A Conmebol fez. Por isso, os jogadores convocados estariam liberados para disputarem a rodada final da fase de grupos da Libertadores, na próxima semana. A CBF entrou em contato com Corinthians e Grêmio, e garantiu que Cássio, Fagner e Geromel se apresentem na segunda-feira, na Granja Comary. Eles, portanto, não jogarão pela Libertadores.

Sigilo ameaçado

O departamento de seleções da CBF decidiu não tornar pública a lista de 12 suplentes dessa próxima Copa. O GloboEsporte.com já havia adiantado essa tendência.

O nome do zagueiro Dedé foi revelado por Tite, uma exceção, durante a entrevista coletiva da convocação dos 23. Depois, o médico Rodrigo Lasmar disse que o goleiro Neto também estava nesse grupo. A comissão técnica demorou até incluir seu nome, temerosa de que ele tivesse algum problema médico, já que não havia enfrentado o Girona, no último fim de semana.

Se a proibição da Fifa for mantida, os jogadores que atuam no futebol brasileiro e estão na lista de Tite poderão ser descobertos. Afinal, os clubes terão de justificar suas ausências das próximas partidas do Campeonato Brasileiro.

– Conversamos bastante sobre isso e não iremos divulgar os nomes. Eu dei a sugestão. Se já existem dúvidas e opiniões normais em cima dos 23, porque vamos abrir outra discussão com os 12? Ai vão debater porque jogador tal não entrou, porque entrou na pré-lista e não na lista final... A discussão sobre os 23 já é suficiente. Com os 35 ficaria pior (risos) – explicou Edu.

Edu Gaspar revela que nomes dos atletas da lista de espera não serão divulgados

Em 2014

O problema não é novo. Há quatro anos, o Fluminense precisou acionar a Fifa para que Diego Cavalieri, listado ao lado de mais seis jogadores na "espera" do técnico Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo, pudesse jogar pelo Brasileirão. Até que a entidade concedesse a permissão, o goleiro perdeu três rodadas.

Os outros eram Rafinha, Miranda, Filipe Luís, Lucas Leiva, Lucas Moura e Alan Kardec. Em 2010, os seis nomes da pré-lista que não disputaram a Copa foram Alex (zagueiro, ex-Chelsea), Carlos Eduardo (meia atualmente no Paraná), Ronaldinho Gaúcho, Sandro (volante, ex-Inter), Ganso, Marcelo e Diego Tardelli.

Para que serve a lista de 35?

Até o dia 4 de junho, os técnicos das 32 seleções podem escolher quaisquer jogadores dessa lista provisória para definirem seus 23 da Copa do Mundo. Só que daí para frente, se houver uma lesão com gravidade atestada pelo Comitê Médico da Fifa, com exames e relatórios, substituições poderão ser feitas até 24 horas da estreia de cada equipe, sem estarem limitadas à pré-lista.

Globo Esporte