sexta-feira, 25 de maio de 2018

Saiba quais os brasileiros que devem jogar a Copa do Mundo por outras seleções

(Foto: Reprodução)


Além dos 23 jogadores convocados pelo técnico Tite para defender o Brasil, o país deve ser "representado" por outros 11 atletas, de sete seleções diferentes, na próxima Copa do Mundo. Esse é o número até o momento de jogadores com dupla nacionalidade, além da brasileira, que estão relacionados para o torneio. As federações têm até o dia 4 de junho para enviarem à Fifa as listas finais.

Veja abaixo quais são os jogadores chamados por outras seleções:

Espanha: Thiago Alcântara, Diego Costa e Rodrigo Moreno

A seleção da Espanha é a que tem o maior número de brasileiros com dupla nacionalidade: três no total. O meia Thiago Alcântara e os atacantes Diego Costa e Rodrigo Moreno foram relacionados pelo técnico Julen Lopetegui na lista final, com 23 nomes.

Diego Costa nasceu em Lagarto, Sergipe. Após um rápido período em Portugal, ele se mudou para a Espanha em 2007, para a sua primeira passagem pelo Atlético de Madrid. Diego chegou a defender a seleção brasileira em 2013, em amistosos contra a Itália e a Rússia. Porém, em julho do mesmo ano obteve a cidadania espanhola e escolheu outro caminho. Participou de amistosos, Eliminatórias e da Copa de 2014.

Thiago Alcântara nasceu em San Pietro Vernotico, na Itália, mas é naturalizado espanhol e, por ser filho do ex-volante Mazinho, campeão do mundo em 1994, também possui cidadania brasileira. Se mudou de vez para a Espanha em 2005, para jogar nas categorias de base do Barcelona. Já disputou Eliminatórias, a Eurocopa de 2016 e vários amistosos.

Filho de Adalberto, ex-jogador do Flamengo, Rodrigo Moreno teve como berço o Rio de Janeiro e se mudou ainda pequeno para a Espanha, no início dos anos 2000, graças a uma oportunidade de trabalho para o pai em Vigo. Passou pelas seleções de base até ser chamado pela primeira vez para a principal em outubro de 2014. Tem 4 jogos pela Roja até hoje.

Atual campeã da Europa, a seleção de Portugal conta com dois atletas com dupla nacionalidade no grupo final do técnico Fernando Santos: os zagueiros Pepe e Bruno Alves. Pepe nasceu em Maceió, Alagoas, e se mudou para Portugal aos 18 anos. Foi convocado pela 1ª vez em 2007.

Rússia: Mario Fernandes

Pela Rússia, Mario Fernandes enfrentou a seleção da Argentina (Foto: Epsilon/Getty Images) Pela Rússia, Mario Fernandes enfrentou a seleção da Argentina (Foto: Epsilon/Getty Images)
Pela Rússia, Mario Fernandes enfrentou a seleção da Argentina (Foto: Epsilon/Getty Images)
A dona da casa, a Rússia, colocou o lateral-direito Mário Fernandes entre os 28 pré-convocados pelo técnico Stanislav Cherchesov. Nascido em São Cateano do Sul, ele chegou ao futebol russo em 2012, obteve a cidadania em 2016 e foi selecionado pela primeira vez no ano passado. Vale lembrar: Mário recusou a convocação do técnico Mano Menezes para a seleção brasileira, em 2011, para um amistoso contra a Argentina.

México: Jonathan Dos Santos e Giovani Dos Santos

O México chamou os irmãos Jonathan e Giovani Dos Santos na pré-convocação com 28 nomes para o Mundial. Os dois nasceram na cidade de Monterrey, mas como são filhos do ex-jogador Geraldo Francisco dos Santos, têm dupla cidadania. Giovani fez uma carreira muito mais significativa pela seleção, com participações na Copa Ouro, Eliminatórias, Copa América, Copa das Confederações e Copa do Mundo em 2010 e 2014. Atualmente, eles jogam juntos no Los Angeles Galaxy, dos EUA.

Polônia: Thiago Cionek

Natural de Curitiba, o zagueiro Thiago Cionek foi relacionado entre os 35 candidatos para representar a Polônia na próxima Copa do Mundo. Ele obteve a segunda cidadania em 2011 e começou a defender a seleção polonesa em 2014. Esteve presente em amistosos internacionais, nas Eliminatórias para o Mundial de 2018 e também na Eurocopa de 2016.

Costa Rica: Celso Borges

Na Costa Rica, o Brasil é "representado" pelo meio-campista Celso Borges. Ele nasceu em San José e é filho do técnico Alexandre Guimarães, dono de longa história pela seleção caribenha - disputou a Copa do Mundo de 1990, como jogador, e classificou a mesma para o Mundial de 2002. Celso Borges também tem um longo currículo pela Costa Rica: amistosos, Eliminatórias, Copa América, Copa Ouro, e Copa do Mundo de 2014. Essa equipe já divulgou a relação final, com 23 jogadores.

Suíça: Léo Lacroix

O zagueiro Léo Lacroix é de Lausanne, na Suíça, mas é filho de mãe brasileira. Teve uma experiência de seis meses no São Cristovão, pequeno clube do Rio de janeiro, mas a carreira foi praticamente toda no futebol suíço, com convocações para seleções de base. Ele foi chamado pela primeira vez para a equipe principal em outubro de 2016, para jogos das Eliminatórias. Só que nunca entrou em campo pela Suíça. O técnico Vladimir Petkovic ainda não se decidiu sobre os 23 atletas para a Copa.

Na Copa do Mundo de 2014, foram cinco os jogadores brasileiros com dupla cidadania que entraram em campo: Pepe (Portugal), Diego Costa (Espanha), Thiago Motta (Itália), Sammir e Eduardo (ambos pela Croácia).

Globo Esporte