sábado, 16 de junho de 2018

Abel pede demissão, deixa o Flu e justifica: "Desgaste tem sido muito grande"

(Foto: Juliana Flister/AFP)


Abel Braga não comanda mais o time do Fluminense. O treinador pediu demissão do cargo que ocupava há um anos e seis meses após uma conversa com o presidente do clube, Pedro Abad, neste sábado, no início do recesso da Copa do Mundo de 2018.

Em nota oficial, às 15h30, o Fluminense confirmou a informação do GloboEsporte.com. Pedro Abad lamentou a decisão do treinador:

- Certamente é uma perda muito grande para o Fluminense. Abel estava conosco desde o início da gestão. Mas entendeu que era o momento de encerrar este ciclo. Respeitamos a decisão dele e já estamos em busca de uma reposição à altura para o carro-chefe do nosso clube.

Também por comunicado oficial, Abelão comentou a decisão:

- Acho que chegou a hora de descansar, de dar um tempo. Durante toda essa minha passagem como treinador do Fluminense, clube que todos sabem que tenho um carinho e uma identificação enormes, pensei no presidente, nos jogadores, na minha comissão técnica, na torcida, mas pouco pensei em mim e na minha família. Não me arrependo de nada, porque sempre fiz tudo com o coração e com o maior profissionalismo possível, mas o desgaste do dia a dia tem sido muito grande. Só tenho a agradecer a todo mundo. Primeiramente, ao Abad, um cara sensacional e correto, que busca fazer o melhor, e a toda diretoria. Aos jogadores, o meu muito obrigado pela parceria e dedicação. Realmente, temos uma equipe com alma. O meu agradecimento se estende a todos os funcionários, verdadeiros guerreiros. E um aparte especial aos torcedores, a quem sempre fui e serei eternamente grato.

O agora ex-treinador, então, encerra a sua terceira passagem pelo Tricolor. Ela começou em dezembro de 2016, quando da posse da atual gestão. Em 2018, Abel comandou a equipe em 34 jogos, com 14 vitórias, oito empates e 12 derrotas. Foi campeão da Taça Rio, mas não chegou à final do Carioca, caiu precocemente da Copa do Brasil (terceira fase) e deixa a equipe na 12ª colocação do Brasileiro (com 14 pontos, dois distante da zona de rebaixamento) e na segunda fase da Sul-Americana (enfrenta o Defensor-URU).

Antes mesmo da última partida, a derrota para o Santos, quarta-feira no Maracanã, o quinto jogo sem vitória no Brasileirão, o treinador estava incomodado com a situação do clube. O atraso no pagamento dos salários dos jogadores, a falta de reforços e o sentimento de estar só após a saída de Paulo Autuori o fizeram tomar a decisão.

Melhores momentos de Fluminense 0 x 1 Santos pela 12ª rodada do Brasileirão 2018
Abel preferiu comunicar a decisão a Abad o mais rápido possível, afinal, gosta do clube e tem boa relação com o dirigente. No entendimento dele, o Flu terá tempo para procurar um substituto e começar um novo trabalho ainda no recesso da Copa. A reapresentação está marcada para o dia 26.

Com um total de 329 jogos, Abel é o segundo técnico com mais partidas à frente do Fluminense. Foi campeão brasileiro em 2012, carioca em 2005 e 2012, da Taça Rio em 2005 e 2018, e da Taça Guanabara, em 2012 e 2017.

Globo Esporte