quarta-feira, 13 de junho de 2018

Com gol de pênalti, Cruzeiro sai na frente, mas Paraná empata, e times ficam no 1 a 1 na Vila Capanema

 (Foto: Albari Rosa/Gazeta do Povo)


Após um primeiro tempo morno, os times "acordaram" na etapa final, quando as melhores chances foram criadas. Com um gol de pênalti - sofrido por Patrick Brey - e cobrado por Sobis, o Cruzeiro abriu o placar, aos 19. Quase 10 minutos depois, aos 30, Silvinho, de cabeça, empatou para os donos da casa, dando números finais à partida: 1 a 1. O jogo também ficou marcado por várias reclamações. Os treinadores Mano e Micale (que até foi expulso) queixaram bastante sobre muitas marcações tanto do árbitro quanto dos bandeirinhas.

A etapa inicial foi de poucas chances criadas pelas duas equipes. Porém, quem teve mais volume de jogo foi o Cruzeiro, que chegava com facilidade e com qualidade até a última parte do gramado, mas pecava na falta de finalização. Foram quatro (todas erradas). A melhor chance foi com Robinho, que recebeu na entrada da área e chutou para fora. Já o time paranista tinha dificuldade para manter a bola nos pés e pouco deu trabalho à defesa cruzeirense. Chegou com perigo com Igor, na cara com o goleiro Fábio, e que chutou para fora, sem direção.

Teve, praticamente, a mesma tônica da primeira etapa: Cruzeiro dominando as ações, e o Paraná com dificuldades para levar perigo ao gol de Fábio. A primeira chance foi com Raniel e Robinho. O atacante chutou dentro da área, Tiago Rodrigues espalmou, e o meia, no rebote, isolou. A segunda oportunidade foi a que resultou no gol. Derrubado na área, Patrick Brey sofreu o pênalti, Sobis bateu e marcou para a Raposa. Mas, aí, o Paraná saiu em busca do empate e pressionou. O resultado veio 11 minutos depois. Junior cruzou para a área, Silvinho chegou livre e mandou para o gol. A partir daí, a partida ficou muito pegada, com os jogadores com ânimos exaltados e não conseguindo levar perigo ao adversário.

Com o empate, o Paraná vai a 10 pontos, não consegue deixar a zona do rebaixamento antes da parada para a Copa do Mundo e chega ao segundo jogo sem vitória. Já o Cruzeiro não alcança o objetivo de terminar entre os primeiros colocados do Brasileiro na paralisação e tem série de três jogos seguido sem triunfo na competição.

O Paraná, assim como os outros clubes brasileiros, também para na Copa do Mundo. Os jogadores ganharão 11 dias de folga. A equipe deve fazer jogos-treino durante a realização do Mundial na Rússia. O retorno aos gramados será contra o Vitória, em 18 de julho, Já o Cruzeiro fica 10 dias sem treinar e tem dois amistosos encaminhados contra o Corinthians durante a paralisação. Um dia depois da final da Copa, a Raposa estará em campo novamente, desta vez pela Copa do Brasil, contra o Atlético-PR, no Mineirão.

Globo Esporte