quinta-feira, 21 de junho de 2018

Drama na lateral: Danilo não tem prazo para volta, e Fagner não joga há dois meses

(Foto: Pedro Martins / MoWa Press)


A lateral direita da seleção brasileira sofreu mais um baque nesta quinta-feira, véspera do jogo contra a Costa Rica. Depois de perder Daniel Alves, machucado, dias antes da convocação para a Copa do Mundo, agora foi Danilo quem virou desfalque. Com uma lesão muscular na região do quadril, ele não tem data para voltar e será substituído por Fagner, que não joga há dois meses.

A CBF informou que Danilo está fora da segunda rodada, mas ele tem poucas chances de retornar na primeira fase. Não é possível sequer garantir que ele voltará a atuar no Mundial, já que problemas no quadril costumam exigir um tratamento delicado e lento.

Já o lateral do Corinthians teve lesão na coxa direita no dia 29 de abril, aos sete minutos da partida contra o Atlético-MG. A ausência de Daniel Alves reabriu uma porta que parecia ter sido fechada na lista de convocados. Tite o chamou mesmo sabendo que ele demoraria pelo menos uma semana, a partir da reapresentação, para treinar com o grupo.

E assim foi. Fagner só se juntou aos companheiros na segunda semana de atividades, no CT do Tottenham, em Londres. Esse atraso foi decisivo para que Tite optasse por Danilo como titular nos amistosos e no início da Copa do Mundo.

Essa nova lesão coloca Fagner em ação num momento decisivo, e sem ritmo de jogo. O Brasil empatou com a Suíça na estreia e precisa vencer a Costa Rica para definir sua situação na última rodada, diante da Sérvia, numa posição mais confortável.

A falta de tempo em campo é a maior preocupação da comissão técnica neste curto prazo. Na visão de Tite e seus auxiliares, Fagner até leva vantagem sobre Danilo em alguns aspectos, como o jogo construído pelo meio-campo, em associação aos outros jogadores do setor direito, e a saída de bola pelo chão, algo que era muito usado com Dani Alves.

Além de Fagner, outra opção da comissão técnica para o setor é improvisar o zagueiro Marquinhos, que, no PSG, já chegou a atuar como lateral-direito.

Globo Esporte