sábado, 2 de junho de 2018

Lá e cá: Atlético-MG e Chapecoense empatam partida recheada de gols e polêmica

(Foto: DUDU MACEDO/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDO)


Galo e Chape fizeram daqueles jogos que valem o ingresso. Teve de tudo na Arena Independência. Muitos gols, expulsão, furadas, lances bonitos, bola na trave e polêmica da arbitragem. No fim, empate em 3 a 3 que satisfez mais a Chape. O time Condá atuou por todo o segundo tempo com um jogador a menos com a expulsão de Leandro Pereira.

A Chape ficou com um homem a menos desde a primeira etapa com a expulsão de Leandro Pereira. Já na etapa final, o time Condá ficou na bronca da arbitragem depois que o árbitro não expulsou Fábio Santos, após o lateral cometer pênalti em Arthur e não ser expulso - era o último homem e com o atacante da Chape com chance clara de marcar o gol. Nos acréscimos, foi a vez do Galo reclamar com o árbitro, após o zagueiro Douglas colocar a mão na bola em chute de Cazares.

Com o empate, o Atlético-MG foi aos 14 pontos. A Chape subiu para 10. As equipes aguardam o fim da rodada para conhecer a posição. Na próxima rodada, o Galo enfrenta o América-MG, na Arena Independência, quinta-feira. A Chape joga na quarta, contra o Vitória, em Salvador.

O relógio marcava 50 minutos do primeiro tempo, e a Chape tinha àquela altura a última chance da etapa inicial. A falta frontal, mas de longe, parecia difícil resultar em gol. Mas eis que Arthur bateu com precisão à Zico e Juninho Pernambucano. A bola morreu no ângulo, sem chances para Victor.

A Chapecoense também reclamou do pênalti marcado para o Galo, quando Wellington Paulista derrubou Gabriel. Lance difícil, e o árbitro estava bem posicionado.

Roger Guedes foi o mais escalado da rodada no Cartola e não decepcionou. Nem os cartoleiros e nem os torcedores do Galo. Autor de uma assistência e um gol, o atacante assumiu a artilharia isolada do Brasileirão, com seis.

A Chape saiu na frente com Leandro Pereira, em cobrança de escanteio, aos 19. O Galo empatou na saída de jogo, com Ricardo Oliveira, em chute cruzado na saída de Jandrei. A virada veio em cobrança de pênalti, convertida por Fábio Santos, aos 35. A Chape ficou com um jogador a menos com a expulsão de Leandro Pereira ao levar o segundo amarelo. Quando tudo se encaminhava para o fim da etapa inicial, Arthur acertou linda cobrança de falta, que parou no fundo da rede.

Na segunda etapa, o Galo voltou a marcar e ficar à frente do placar, em chute de Roger Guedes, aos 13. A Chape foi valente e empatou novamente aos 17, após cobrança perfeita de pênalti de Wellington Paulista. No lance que gerou a penalidade, Fábio Santos derrubou Arthur e poderia ter sido expulso, mas não foi, para indignação da Chape. Depois, o Galo pressionou até o fim, mas não conseguiu marcar. No último lance, Cazares soltou o pé de fora da área, Douglas colocou a mão na bola, mas o árbitro nada marcou.

Globo Esporte