quarta-feira, 13 de junho de 2018

Vice do Santos revela reunião para decidir futuro de Rodrygo e não descarta saída do técnico Jair Ventura

(Foto: Reprodução)


Na mesma hora do jogo contra o Fluminense, nesta quarta-feira, às 19h (de Brasília), a diretoria do Santos faz uma reunião para definir os detalhes finais da venda de Rodrygo ao Real Madrid.

Membros do Comitê de Gestão (incluindo o presidente José Carlos Peres), do Conselho Fiscal e Conselho Deliberativo do Santos se encontram neste momento com Nick Arcuri e Eric Goes, empresário e pai do atleta.

O vice-presiidente, Orlando Rollo, que também é membro do CG, não participará da reunião. Ele está no Rio de Janeiro e emitiu sua opinião.

– O Conselho geral irá deliberar em votação, são nove pessoas. Minha opinião pessoal: só vende se for 50 milhões de euros. Existem dúvidas jurídicas. Cada advogado tem um entendimento se o Santos receberia tudo ou repassaria para o Rodrygo, assim como o Conselho Fiscal, para dar andamento às negociações. Cada membro pensa de uma maneira, o que a maioria decidir é o que vai valer – disse Orlando Rollo.

A multa rescisória é de 50 milhões de euros, mas as partes acertaram a venda por 45 milhões de euros. Peres reforçou que fez questão que o Santos receba 40 milhões de euros, o equivalente a 80% da multa rescisória de Rodrygo, à qual o clube tem direito.

O estafe de Rodrygo, que ficaria com 20% dos direitos do valor da multa rescisória (ou seja, 10 milhões de euros), teria aberto mão de metade dessa quantia para que o negócio fosse fechado.

O acordo é para que Rodrygo se apresente ao Real Madrid em julho de 2019, seis meses depois de completar 18 anos.

Como o contrato com o Real Madrid ainda não foi assinado, Rodrygo sequer viajou com a delegação santista para o Rio de Janeiro. Rollo repreendeu a atitude do garoto de 17 anos.

– Considero grave, muito grave, não tivemos oportunidade de conversar com o presidente ainda. Ele deveria estar aqui porque tem contrato com o clube – enfatizou.

Vice-presidente do Santos explica ausência de Rodrygo na partida contra o Fluminense

Rollo repetiu o mesmo discurso de Peres e não garantiu o técnico Jair Ventura no cargo. A maioria da diretoria do Santos defende a demissão, mesmo com uma vitória contra o Fluminense. Uma reunião está marcada para esta quinta-feira.

– A gente acredita no trabalho a longo prazo, a gente acredita que seis meses são pouco pra avaliar, mas futebol é resultado, e os resultados não estão satisfatórios no Campeonato Brasileiro, mesmo com a boa fase na Copa do Brasil e Libertadores. Jair passará por uma avaliação do futebol. Nada está descartado – concluiu.

Globo Esporte