domingo, 8 de julho de 2018

Brasil cai diante dos Estados Unidos e fica fora do pódio da Liga das Nações

(Foto: Divulgação/FIVB)


O golpe da semifinal ainda deixava marcas. Mais do que um bronze, estava em jogo a recuperação da moral para o Brasil depois de ser dominado pela Rússia. Não foi um novo atropelo neste domingo, mas os Estados Unidos superaram os campeões olímpicos em Lille, na França. Anderson e Russell comandaram a vitória americana por 3 sets a 0 - parciais de 25/21, 28/26 e 28/26 - para ficar com a terceira posição da Liga das Nações, enquanto os brasileiros só puderam assistir ao pódio.

- Saímos com gosto amargo. Estar entre os quatro melhores do mundo é importante, mas queremos mais. Essa é a história do vôlei brasileiro. Infelizmente não deu. Cometemos muitos erros infantis em alguns momentos, o que não se pode cometer, mas não se pode dizer que a moçada não tentou. Fica o reconhecimento para essa garotada, que lutou ponto a ponto - disse o técnico Renan Dal Zotto.

Cheio de desfalques principalmente entre os ponteiros, Renan tenta fazer o Brasil se reerguer. A quarta colocação no primeiro compromisso do ano não era o esperado, mas o objetivo maior ainda está por vir. O Mundial da Itália e da Bulgária, em setembro, é a chance de os campeões olímpicos voltarem ao topo.

- Não tivemos tempo de digerir a derrota contra a Rússia. Foi estranho, porque não teve jogo, foi um atropelo mesmo. Conversamos que era importante essa medalha. Fica a frustração. Seria muito valiosa. Dói muito. Temos um mês e meio para trabalhar para o Mundial. Temos de seguir em frente - disse o capitão Bruninho.

O jogo

A derrota para a Rússia ainda estava na cabeça, mas era hora de mostrar uma reação. O caminho para o Brasil se reerguer foi pelo meio de rede. Lucão e Maurício Souza foram os pilares dos campeõs olímpicos no início do jogo. Só que os americanos montaram um bloqueio forte e contaram com uma grande atuação de Matthew Anderson. Foram sete ataques certeiros do jogador na primeira parcial. O diferencial para a vitória dos Estados Unidos por 25 a 21.

Os erros atormentaram o Brasil no começo do segundo set. Os Estados Unidos chegaram a abrir 4 a 0 aproveitando falhas de ataque, de levantamento, de recepção. Os campeões olímpicos, porém, reagiram rapidamente, comandados pelos ataques de Lucão e Wallace. Na reta final, porém, as falhas voltaram a incomodar. Os americanos cresceram e venceram por 28 a 26.

Abatido, o Brasil não conseguiu fazer frente aos Estados Unidos no terceiro set. Aaron Russell cresceu e liderou os americanos. Renan Dal Zotto tentou mudar peças na equipe, colocou William, Evandro e Isac em quadra. Restava a esperança de repetir o jogo da fase de classificação, quando o Brasil virou depois de estar perdendo por 2 a 0 diante dos Estados Unidos. Os americanos precisaram de quatro match points, mas já era tarde: 28/26.

Globo Esporte