sábado, 7 de julho de 2018

Sandro Meira Ricci vai bem nas quartas e ganha pontos para apitar final

(Foto: REUTERS/Henry Romero)


Utilizando aquela velha máxima, Sandro Meira Ricci é o Brasil na Copa do Mundo. O árbitro mineiro se saiu bem no empate em 2 a 2 entre Croácia e Rússia que eliminou os donos da casa da Copa do Mundo, nas quartas de final. Com a queda do Brasil para a Bélgica na última sexta-feira e a boa atuação neste sábado, Sandro ganhou pontos para apitar a final da Copa, no dia 15 de julho, em Moscou.


Ao todo, Sandro distribuiu cinco cartões amarelos - quatro para a Croácia e um para a Rússia - e não precisou expulsar ninguém durante as mais de duas horas de bola rolando que tivemos em Sochi. O árbitro mostrou coerência nos critérios para os cartões. Na disputa de pênaltis, não precisou mandar voltar nenhuma cobrança porque os goleiros foram comportados, sem se adiantar demais.

Talvez o momento mais tenso para o brasileiro foi aos nove minutos do primeiro tempo da prorrogação. O russo Smolov partiu no contra-ataque e caiu dentro da área. Mas o camisa 10 dos donos da casa se jogou ao sentir um contato do marcador. Sandro Meira Ricci acertou ao mandar o jogo seguir. No mais, tudo tranquilo.

A Fifa vai anunciar a escolha do trio de arbitragem da decisão após as disputas das semifinais, que ocorrem nas próximas terça e quarta. Para atuar em uma final, o país de origem do árbitro tem que ter sido eliminado da Copa, que é o caso de Meira Ricci. Dois brasileiros já apitaram decisões: Arnaldo César Coelho em 1982 e Romualdo Arppi Filho em 1986.

Globo Esporte