sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Empresa se pronuncia após críticas ao gramado do Maracanã no Brasileiro

(Foto: Reprodução)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


O fechamento da 20ª rodada da série A do Campeonato Brasileiro trouxe a tona um problema em um dos principais estádios do país. O gramado do Maracanã foi duramente criticado pelo meia Diego, do Flamengo, após a vitória por 1 a 0 sobre o Vitória.

Ao deixar o estádio, o meia flamenguista concedeu entrevista aos repórteres na zona mista e não poupou críticas ao gramado, que passou por diversas modificações desde que o Maracanã foi reinaugurado para os Jogos Olímpicos de 2016.

“Sem dúvida nenhuma (o gramado do Maracanã é um dos piores da Série A), isso é um fato. Não é de hoje. Claro que jogam Flamengo e Fluminense, mas não justifica ser um dos piores gramados. É um dos principais estádios do Brasil com um dos piores gramados. Não é e nunca vai ser uma desculpa, a condição é a mesma para os adversários, mas quem defende leva uma vantagem. O importante é que a gente tem conseguido nosso objetivo, que é vencer”, disse.

(Foto: Alexandre Loureiro/BP Filmes)

Um lance em específico foi citado por Diego para exemplificar o problema. Em um bela jogada de Marlon, driblando ao menos três defensores baianos, o atleta do Flamengo perdeu a bola, e Diego justificou dizendo que o gramado não ajudou o companheiro a finalizar para o gol.

“Vale ressaltar, hoje o Maracanã é um dos piores gramados do Brasil, sem dúvida nenhuma, da Série A. Sem dúvida. E isso muda o jogo. O Cuéllar, por exemplo, era um domínio ou outro, que parece fácil, mas o gramado justifica isso. Hoje o (Marlos) Moreno era para fazer um gol maravilhoso, mas o gramado prejudicou. Eu não sei o que acontece, a diretoria tem feito esforços, mas isso dificulta demais, fica um jogo truncado, difícil. Para furar bloqueios precisa de rapidez, e o campo não deixa que isso aconteça”.

Nesta sexta-feira (24), máquinas foram vistas retirando o gramado do Maracanã para troca. O presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello prometeu, também em entrevista após o jogo desta quinta, uma reforma radical no gramado do Maracanã.

Máquinas trabalhando no gramado nesta sexta-feira (Foto: Divulgação)

De acordo com a Greenleaf, empresa responsável pelo Maracanã, o mês de agosto seria o mais complicado pois, além de ser inverno, o estádio recebeu seis jogos em 11 dias. Foi orientado aos atletas que não fizessem o trabalho de aquecimento no campos antes, no intervalo e após as partidas, o que não ocorreu.

A troca de parte do gramado começou na manhã desta sexta-feira e já estava programada antes mesmo da queixa de Diego, de acordo com a empresa responsável. Uma reunião entre representantes da Greenleaf e do Flamengo deve ocorrer nesta sexta para tratar do assunto.

A empresa também emitiu uma nota oficial sobre o caso:

A Concessionária Maracanã vai realizar, a partir de hoje, a troca de 1.500 m2 de grama. O objetivo é oferecer sempre as melhores condições para os jogos realizados no estádio. A troca já estava programada para receber as primeiras partidas de setembro.

Dois fatores influenciaram esse planejamento: foram realizados 12 jogos em 23 dias e a temperatura amena dessa época prejudicou o crescimento da grama de inverno, sobrecarregando a grama de verão.

Daqui a dois meses, nova troca de 1/3 do gramado deverá ser realizada. No início do ano, o gramado do estádio recebeu nota 4,89 da CBF em uma escala que vai até 5, como um dos melhores do país.