quarta-feira, 26 de setembro de 2018

Alfinetadas: Escolha de Modric mostra que futebol ainda respira para novos astros

(Foto: Goal.com)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


A surpreendente escolha de Modric como o melhor jogador do mundo em votação da Fifa foi considerada um erro, segundo muitos jornalistas e fãs do futebol. O atleta ajudou a Croácia a chegar à final da Copa do Mundo de 2018 e foi escolhido como melhor jogador da competição.

Entretanto, não foi assim que muitos viram essa escolha. A maioria achava sensato entregar o prêmio a Cristiano Ronaldo, pelo histórico de prêmios que tem e pela temporada que teve no Real Madrid (hoje o atleta está na Juventus). Modric pode ter sido um “desvio de percurso”, mas mostra um lado mais “democrático” nesta escolha.

Em tempos onde o futebol passa por crise e muitos polêmicas dentro e fora das quatro linhas, escolher alguém que não seja um “extraterrestre” coloca um lado mais “humano” no fuebol. Abre espaço para que outros jogadores possam almejar o topo, mesmo que Messi e CR7 possam dominar sem qualquer esforço. Sair um pouco do “mais do mesmo” mostra que o futebol ainda respira.

Não quero criticar as escolhas “incessantes” de Messi e Cristiano nos últimos anos, mas abrimos espaço para que o futebol se renove e possa ter astros tão gigantes como os dois. A qualidade dos dois não irá mudar por causa de um prêmio.

O futebol respira, com dificuldades, mas respira.