quinta-feira, 20 de setembro de 2018

Em ofício à Conmebol, CBF pede reparação ao Cruzeiro e a Dedé, além de investigação de VAR

(Foto: AP)


O caso Dedé ainda deve render muitos capítulos. A CBF enviou um ofício à Conmebol, nesta quinta-feira, com um pedido de reparação de danos ao Cruzeiro e ao zagueiro (leia, na íntegra, no fim da matéria). Além disso, a entidade brasileira solicitou que haja uma investigação sobre o VAR, utilizado de maneira errada no caso, segundo o órgão que coordena o futebol brasileiro.

A Raposa prepara os detalhes para apresentar a defesa nas próximas horas. A intenção do clube celeste é que o cartão vermelho recebido por Dedé seja anulado, para o defensor estar presente no jogo de volta. A polêmica começou após choque acidental de Dedé com o goleiro Andrada, do Boca Juniors. O Cruzeiro contratou um advogado no Paraguai e enviou o presidente Wagner Pires de Sá a Luque, onde fica a sede da Conmebol.

Em entrevista ao GloboEsporte.com, o presidente do clube mostrou indignação e tratou a presença na Conmebol como forma de minimizar mais prejuízos ao Cruzeiro, que perdeu por 2 a 0 na Bombonera e, agora, tem que devolver o placar, no mínimo, para levar a decisão para os pênaltis. Se sofrer um gol, o time celeste precisa fazer quatro. O jogo de volta está marcado para o dia 4 de outubro, no Mineirão.

Confira a carta da CBF na íntegra:

"Rio de Janeiro, 20 de setembro de 2018.
Ofício nº 406/2018

Ilmo. Sr.
Alejandro Domínguez,
Presidente da Confederación Sudamericana de Fútbol – CONMEBOL
Luque - Paraguai

Ref.: Desempenho da arbitragem na partida das quartas de final da Copa Libertadores da América entre Cruzeiro Esporte Clube e Club Atlético Boca Juniors

Senhor Presidente,

A partida disputada entre Cruzeiro Esporte Clube e o Club Atlético Boca Juniors em 19/9/2018, pelas quartas de final da Copa Libertadores da América, infelizmente foi marcada por um grave erro de arbitragem. O atleta Dedé foi expulso injustamente pelo árbitro paraguaio Eber Aquino, após um choque involuntário com o atleta Esteban Andrada.

Como agravante, a injusta expulsão aconteceu após consulta ao Sistema de Assistência Arbitral por Vídeo (VAR), o que ocorreu de forma irregular e fora do protocolo de utilização da referida tecnologia.

A CBF registra seu inconformismo com a decisão da arbitragem e solicita que a Conmebol, valendo-se de suas instâncias funcionais, tome todas as providências cabíveis no sentido de fazer justiça em relação ao dano causado ao Cruzeiro Esporte Clube e ao atleta. Sugere ainda que uma investigação seja aberta pela Conmebol para completa apuração do ocorrido em relação à indevida intervenção do VAR neste episódio, dando transparência à decisão do árbitro no momento do lance.

A CBF faz isso não apenas no cumprimento do dever de apoiar sua agremiação filiada, mas no interesse de proteger a credibilidade do Sistema de Assistência Arbitral por Vídeo. O VAR é uma ferramenta fundamental para a melhoria do nosso futebol, mas para isso precisa da confiança das entidades, atletas, agremiações e torcedores. Isso só acontecerá se erros como o ocorrido na partida de ontem forem prontamente reconhecidos e corrigidos.

A CBF reconhece os grandes progressos de sua gestão à frente da Conmebol, notoriamente em relação a modernidade e transparência administrativa. Por isso, está confiante que serão adotadas as necessárias providências em relação aos fatos em questão.

No aguardo de sua manifestação, subscrevemo-nos,

Atenciosamente,

Rogério Caboclo
Diretor Executivo de Gestão"

Globo Esporte