quinta-feira, 27 de setembro de 2018

Paraná planeja vender mando de campo de jogos contra Flamengo, Palmeiras e Internacional

(Foto: Alexandre Durão/GloboEsporte.com)


Com 99% de risco de rebaixamento, o Paraná tem como plano vender o mando de campo das partidas que tem contra os times que brigam pelo título do Brasileirão. O Tricolor enfrenta o Flamengo (30ª rodada), Palmeiras (35ª) e Internacional, na última rodada.

A intenção é arrecadar dinheiro para a próxima temporada e em estádios com maior possibilidade de receber público, já que a média da Vila Capanema é de 6.260 pessoas, a penúltima entre os 20 times, à frente só do América-MG (4.873). Para conseguir a liberação da venda, a diretoria do clube precisa da aprovação do Conselho Deliberativo. A informação foi revelada pelo jornal Gazeta do Povo e confirmada pelo GloboEsporte.com.

Os jogos que o Paraná pode comercializar não podem sair do estado, pois os cinco últimos duelos no Brasileirão como mandante só podem ser vendidos regionalmente, conforme determinação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Londrina e/ou Maringá (Palmeiras e Flamengo) e Cascavel (Internacional) são as cidades cogitadas no momento. A mais provável de acontecer é com o time gaúcho, na última e decisiva rodada. Vale lembrar que o clube paranaense já adotou essa prática em 2005 e 2006 na Série A e em 2016, na Série B.

Tabela da Série A do Campeonato Brasileiro

Em entrevista para a Gazeta do Povo, o presidente do Conselho Deliberativo, Luiz Carlos Casagrande, admitiu a possibilidade e disse que uma assembleia será convocada para que os associados decidam sobre o assunto. No mês de junho, a venda de jogos para fora de Curitiba havia sido proibida por decisão do próprio orgão.

As partidas contra o Vasco da Gama (27ª), Vitória (32ª) e Atlético-MG (34ª) não entrarão na negociação, porque o primeiro está próximo de acontecer, já nesta segunda-feira, dia 1 de outubro, enquanto o segundo e o terceiro não têm apelo na região paranaense.

Ação antiga

A aposta em arrecadar dinheiro com os times considerados do eixo não é uma novidade na história paranista. Em 2005, pela elite do futebol brasileiro, o Tricolor encarou os quatro grandes de São Paulo em Maringá, com três derrotas e um empate, e o Internacional em Cascavel, com vitória, todos com sucesso de público. A medida na época, entretanto, gerou revolta dos torcedores com a diretoria.

Em 2006, no ano em que ficou na quinta colocação e conquistou uma vaga na Taça Libertadores, o Paraná foi derrotado pelo Corinthians por 2 a 1, novamente em Maringá, no início da Série A. Já em 2016, após negociar em 2014 e não ter êxito, a direção paranaense vendeu o mando contra o Vasco, na Série B, para Cariacica-ES.

Ao todo, foram cinco derrotas (3 a 2 e 2 a 1 para o Corinthians, 4 a 0 para o São Paulo, 3 a 1 para o Palmeiras e 1 a 0 para o Vasco), um empate (1 a 1 contra o Santos) e uma vitória (3 a 1 frente ao Inter).

Globo Esporte