segunda-feira, 29 de maio de 2017

CBF compra espaço na TV Brasil e deixa Globo fora dos amistosos da seleção

(Foto: Reprodução)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


Os dois próximos amistosos da seleção brasileira de futebol serão exibidos pela TV Brasil. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) comprou os espaços na TV estatal para as transmissões nos dias 9 e 13 de junho a partir das 7h (horário de Brasília).

O Brasil fará dois amistosos em Melbourne, na Austrália, como preparação para a Copa do Mundo de 2018, na Rússia. A seleção fará o clássico contra a Argentina no dia 9 e depois enfrenta os donos da casa no dia 13 de junho.

A ideia ocorreu após entidade e Rede Globo não entrarem em um acordo pela transmissão dos jogos. Até então, a Globo tinha exclusividade pela exibição dar partidas da seleção. No começo do ano, no confronto contra a Colômbia, o sinal foi aberto para todas as emissoras, tanto abertas quanto pagas, além de exibições na internet.

Também visando o mundo virtual, a CBF deve fechar uma parceria com o Facebook para exibir os jogos no próximo mês. A ideia é criar um canal próprio para as transmissões dos jogos e vender o sinal para qualquer emissora interessada.

Pelé comentarista

A CBF já teria definido os principais nomes para os dois jogos. Nivaldo Prieto, narrador do Fox Sports, estaria escalado para a cobertura ao lado de Denílson e Pelé nos comentários. Entretanto, a Confederação ainda não definiu se haverá outras emissoras envolvidas na transmissão, mas há uma grande possibilidade da TV Bandeirantes se unir a exibição em junho.

Ao jornal Lance!, a Globo informou que houve uma mudança por parte da CBF em reação aos amistosos da seleção. "A CBF tinha planos de negociar os direitos dos Amistosos e das Eliminatórias da Copa 2022 na forma de bid (leilão fechado). Recentemente decidiu vender os dois jogos amistosos de junho de forma avulsa e, embora não acreditemos que esta seja a melhor solução para todas as partes, tentamos negociar mas não chegamos num acordo”, informa a Globo na nota divulgada.

Em contrapartida, a CBF disse que a medida serviu para valorizar a equipe comandada pelo técnico Tite e que a oferta da emissora carioca não alcançou as expectativas dos cartolas brasileiros.

O novo modelo

De acordo com a CBF, tanto o narrador quanto os comentaristas ficarão nos estúdios da entidade, no Rio, para realizar a cobertura. Pelo menos 50 profissionais vão trabalhar no Brasil e em Melbourne, na Austrália.

Neste modelo, a Confederação vai expor na transmissão os seus 10 patrocinadores oficiais e ainda venderá espaço para outros anúncios de empresas que não sejam concorrentes de seus parceiros. O modelo foi testado em janeiro, quando o Brasil enfrentou a Colômbia no Engenhão.