domingo, 19 de fevereiro de 2017

‘Vergonha’: dirigentes criticam posição de federação ao cancelar Atletiba

Jogadores agradecem presença da torcida (Foto: Clebe Yamaguchi/AGIF)

Por Nicholas Araujo
Curitiba, PR


O cancelamento do clássico entre Atlético Paranaense e Coritiba, válido pelo campeonato estadual, gerou diversas críticas por parte de dirigentes, jogadores e técnicos dos clubes. Segundo a Federação Paranaense de Futebol, alguns profissionais que estavam em campo não estavam credenciados, o que inviabilizaria o início do jogo.

As duas equipes iriam realizar a transmissão do jogo pelos seus canais no Youtube, já que as mesmas não entraram em um acordo com as Organizações Globo para transmitir seus jogos do Paranaense 2017. Vale lembrar que as duas equipes assinaram com o Esporte Interativo para transmitir os jogos do Campeonato Brasileiro a partir de 2019.

Saiba Mais
Federação interfere em transmissão de clássico e Atletiba é adiado

Na coletiva de imprensa, o técnico do Furacão, Paulo Autuori, se juntou aos dirigentes para criticar a postura da Federação e também do valor oferecido pela Globo para transmitir as partidas das duas agremiações. “Parabenizo as equipes, unidos, com o apoio de toda a massa torcedora que estava presente no estádio. Acho que isso foi significativo. E em minha opinião não se pode perder uma oportunidade como essa de se quebrar paradigmas. Tudo isso acontece pela oferta ridícula dos direitos televisivos e Atlético e Coritiba, de uma forma conjunta, não aceitaram”, comentou Autuori.

Confronto

Uma briga antes do clássico entre torcida e policiais causou a morte de um menor que estava indo ao estádio para o jogo. O caso foi passado para a polícia local e será investigado.

Dirigentes

O Diretor de marketing do Atlético, Mauro Holzmann, chamou o dinheiro oferecido pela Globo como “esmola”, em entrevista dada dentro da Arena da Baixada para a ESPN.

“O Atlético e Coritiba não venderam seus direitos por essa esmola que a RPC [afiliada] e a TV Globo quiseram nos pagar. É um direito nosso. Estamos juntos, os dois clubes, não venderam os seus direitos e resolveram fazer uma transmissão independente e gratuita, não vendemos para ninguém, e a Federação, de forma arbitrária, quer que tiremos o trabalho de nossa produtora e não vai ter o jogo. Então não vai ter o jogo”, disse.

“O Coritiba e o Atlético não querem deixar de jogar o jogo e a única coisa era que autorizassem de fazer a transmissão via Youtube, internet, que não é para canal aberto, é para a internet, que é completamente diferente”, comentou José Fernando Macedo, vice-presidente do Coritiba.

Em conjunto, os dois clubes emitiram uma nota sobre o caso:

O Coritiba Foot Ball Club e o Clube Atlético Paranaense informam que o clássico deste domingo (19), no Estádio Atlético Paranaense, não foi realizado devido à decisão da Federação Paranaense de Futebol de não autorizar o início da partida com a transmissão dos clubes em seus canais oficiais, no Facebook e YouTube, contrariando os interesses de seus afiliados CAP e CFC.

Os clubes lembram que a ação pioneira foi realizada, pois as duas equipes não venderam os direitos de transmissão de seus jogos no Campeonato Paranaense, por não concordarem com os valores oferecidos.

Diante da posição arbitrária e sem qualquer razoabilidade da Federação Paranaense de Futebol, os clubes lamentam o prejuízo causado ao futebol paranaense, em especial aos seus torcedores.

Federação contradiz dirigentes

A Federação emitiu uma nota horas depois do cancelamento lamentando a suspensão da partida e que o ocorrido é de inteira responsabilidade dos clubes. Confira a nota na íntegra:

A Federação Paranaense de Futebol, em vista dos fatos ocorridos na partida entre Clube Atlético Paranaense e Coritiba Football Club no dia 19/02/2017, válido pela 5ª Rodada do Campeonato Paranaense de 2017, esclarece o seguinte:

A Federação Paranaense de Futebol não possui nenhuma responsabilidade pelo cancelamento da partida.

A não realização do jogo ocorreu por culpa exclusiva dos Clubes, que desobedeceram à ordem do árbitro de retirar profissionais não-credenciados do gramado onde se realizaria a partida.

Diante disso, uma vez que em nenhuma partida é permitido o acesso e permanência de pessoas estranhas no entorno do gramado, o árbitro agindo de acordo com o Regulamento da Competição (art. 35, §2º e 3º, art. 36, e art. 64, §2º, inciso I do Regulamento Geral), não autorizou o início da partida, até que essas pessoas estranhas ao recinto se retirassem.

O Clube Atlético Paranaense e o Coritiba Football Club, em total desobediência à determinação, recusaram-se a retirar as pessoas não-credenciadas de campo dentro do prazo regulamentar, o que levou ao cancelamento da partida, prejudicando milhares de torcedores que compraram o ingresso e se deslocaram para assistir ao jogo do Campeonato Paranaense de 2017.

Esclarece ainda, diante das inúmeras inverdades veiculadas pelos dirigentes dos dois Clubes, que a Federação em momento algum questionou a transmissão via WEB, entendendo que não havia qualquer tipo de impedimento para sua realização, inclusive acompanhou atentamente a iniciativa dos Clubes nesse novo meio de transmissão.

A Federação Paranaense de Futebol lamenta profundamente o cancelamento da partida, esclarecendo que a responsabilidade pelos prejuízos causados é exclusiva dos Clubes, e que acionará os órgãos competentes para punição dos responsáveis.

Curitiba, 19 de fevereiro de 2017. 

Federação Paranaense de Futebol

Dirigentes reclamam de paralisação de partida (Foto: Reprodução)