quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Federação britânica de pugilismo suspende licença de Tyson Fury

(Foto: Getty Images)


Após ser pego no doping por uso de cocaína e se declarar depressivo, o campeão mundial dos peso-pesados Tyson Fury teve sua licença de lutador suspensa pela federação britânica de pugilismo nesta quinta-feira e definitivamente não irá defender seus títulos da categoria.

A entidade anunciou que pretende analisar mais a fundo os problemas de saúde citados por Fury. Alegando não ter condições médicas para lutar, ele já tinha adiado a luta agendada para o dia 29 de outubro, quando iria encarar o ucraniano Wladimir Klitschko pela segunda vez.

Aos 28 anos, o boxeador britânico nunca perdeu na carreira, tendo cartel perfeito de 25 vitórias (18 por nocaute). Em novembro de 2015, Fury venceu Klitschko por decisão unânime dos juízes e conquistou o posto de número um dos peso-pesados.

"Eu achei que seria justo e certo pelo bem do boxe que o título se mantivesse em disputa, permitindo que outros lutadores pudessem lutar pelo cinturão vago que eu conquistei e me mantenho como campeão imbatível", afirmou Fury após a reunião com o conselho de boxe britânico.

Sem o britânico, a corrida pelos títulos deixados se acirrará entre Anthony Joshua, atual campeão da Federação Internacional de Boxe (IBF), Klitschko, número dois da Associação e Organização Mundial (WBA e WBO), Joseph Parker, principal desafiante ao cinturão da IBF e WBO, e Luis Ortiz, desafiante ao título da WBA.

ESPN