quinta-feira, 29 de junho de 2017

Alfinetadas: Possível saída de Ceni pode decretar fiasco em seu início como treinador

(Foto: Reprodução)

Por Nicholas Araujo
Redação Blog do Esporte


Rogério Ceni chegou ao São Paulo com status de possível "salvador da pátria", no mesmo modo quando goleiro tricolor. Seu grande desafio era recolocar o time no caminho das vitórias, e consequentemente dos títulos, que há alguns anos não acontece. Um título de Sul-Americana, ou menos de Paulista, poderia dar um novo ânimo ao torcedor.

No entanto, o que vimos no início do ano foi uma grande ilusão. Ao vencer a Copa da Flórida, o São Paulo mostrou que poderia vir com tudo, mas não foi bem isso que aconteceu. Brigou pela classificação em seu grupo no Campeonato Paulista e foi eliminado por um clube “desconhecido” na Copa Sul-Americana. Restava disputar o Campeonato Brasileiro.

O nacional continua uma grande prova para o ex-goleiro, que ainda não mostrou seu possível potencial como treinador. Enquanto goleiro, Ceni tomava as rédeas da partida, colocava o São Paulo no lugar e até brigava com técnicos por discordar de algumas posições. Hoje, Ceni se mostra frágil e sem perspectiva para sua continuidade.

O São Paulo não mostra um brilhantismo em campo, é desorganizado e conta com a má fase de quase todo o elenco. Renan Ribeiro se mostrou um grande goleiro, mas um time não pode depender apenas de defesa, se quiser realmente ganhar um campeonato. Os treinos fechados para a imprensa parecem não fazerem efeito para um clube com tanta tradição como o São Paulo.

A possível saída de Ceni do comando resultará em um grande fiasco no seu início de carreira como treinador. Dirigir um clube profissional logo de cara me parece um pouco precipitado, ainda mais onde o ex-goleiro fez sua carreira. Mantê-lo é mais um grande desafio, para uma equipe que luta contra o rebaixamento no nacional e não disputa mais nenhuma competição.

O São Paulo precisa urgente de soluções, para que 2017 não seja mais um ano perdido. Tirar Ceni ou não é uma questão de pensamento, de política e do que é melhor para o clube. Mas tudo pode mudar, e depende apenas de Ceni. É a hora certa de ser radical. Literalmente.