domingo, 4 de junho de 2017

Bauru vence o Paulistano, diminui desvantagem e força 4º jogo da final

 (Foto: Fotojump / LNB)


Se o Bauru já foi o time da virada nos playoffs de quartas de final e semifinal da edição 2016/17 do Novo Basquete Brasil (NBB), a vitória deste domingo sobre o Paulistano, por 90 a 79, deixou para o torcedor do Dragão a esperança de que mais uma reviravolta se concretize, agora na fase final do nacional (veja os melhores momentos no vídeo acima). Com a vitória, a série melhor de cinco da decisão do nacional agora está com o placar de 2 a 1 ainda favorável ao CAP, que terá mais uma chance de buscar um título inédito no próximo sábado (dia 10), em casa, atuando no ginásio Wlamir Marques, do Corinthians. Se necessário, um quinto duelo, com mando do Bauru, será no dia 17, em Botucatu.

Ao contrário de sua característica, Bauru desta vez teve um jogo mais coletivo, com vários jogadores destacando-se em pontuação. Shilton (15), Alex (17), Jefferson (16), Léo Meindl (18) e Jaú (11), por exemplo, pontuaram acima dos dois dígitos. Pelo lado do Paulistano, destaque para Georginho, o cestinha do time, com 15 pontos.

O jogo

Bauru começou a partida com grande intensidade – até a metade da parcial mantinha 100% de aproveitamento em todos tiros. A cada roubada de bola, seus jogadores vibravam de forma exagerada, numa tentativa de incendiar seu torcedor no Gigantão, presente em esmagadora maioria. Mas tamanha intensidade logo cobrou seu preço e a ansiedade começou a provocar diversos erros, de passes a violações. Com isso, o Paulistano, com dois tiros seguidos de três, com Jhonatan e Georginho, passou à frente pela primeira vez no marcador (17 a 16), obrigando Demétrius queimar seu primeiro tempo. O desempenho ofensivo bauruense se restabeleceu o time terminou o período inicial na frente: 23 a 22.

No segundo quarto, o jogo seguiu equilibrado, mas a supremacia paulistana nos rebotes começou a se refletir no placar. Sempre recuperando a bola na defesa e tendo mais de uma chance em cada ataque, o time do técnico Gustavinho passou o dominar o placar – na metade da parcial já tinha cinco de frente. Mas Bauru se acertou defensivamente e quando voltou à frente (35 a 33), foi a vez de Gustavinho chamar seus jogadores para salvar a parcial. A eficiência dos dois times caiu e a diferença manteve-se, com Bauru vencendo mais uma parcial por um ponto (18 a 17), e levando para os vestiários uma pequena vantagem de dois pontos: 41 a 39.

Na volta do intervalo, Bauru viu o Paulistano começar melhor, converter três ataques seguidos e chegou a se assombrar com o “fantasma do 3º quarto” que já o assombrou em diversas oportunidades, inclusive no jogo 2 desta série. Mas o fantasma resolveu incomodar o Paulistano, que viu seu ataque parar numa defesa muito efetiva e um rival, empurrado por sua torcida, se acertar na defesa. Com um jogo de transição muito intenso, Bauru levantou seu torcedor com seguidas cravadas. Faltando pouco menos da metade da parcial, Bauru estabelecia a maior vantagem do jogo (58 a 47). Após um quarto perfeito na defesa, Bauru fechou a parcial em 22 a 9 e levou para o último período a importante frente de 15 pontos: 63 a 48.

No quarto decisivo, Bauru seguiu inspirado e Gui fez de costas os primeiros pontos, elevando a vantagem pra 17 pontos. Mas o Paulistano não queria perder a chance de matar a decisão e pressionou no ataque Quando Jhonatan acertou de três e derrubou a diferença para 10 pontos (65 a 55), Demétrius parou o jogo. A bronca deu certo e o Bauru voltou a abrir boa vantagem (74 a 60), passando para Gustavinho a missão de chamar tempo técnico para reequilibrar o Paulistano. Na reta final do período, Bauru tentou valorizar suas posses, finalizando os ataques no limite do relógio, e o Paulistano seguia com a opção do jogo individualizado, do perímetro, geralmente com Georginho. Mas a opção bauruense foi mais feliz e, com uma enterrada raivosa de Léo Meindl no segundo final, Bauru fechou a parcial atrás no marcado (27 a 31), mas vitorioso no placar final: 90 a 79.

Globo Esporte