terça-feira, 6 de junho de 2017

Duelo pela quinta rodada entre Chape e Grêmio é adiado para quinta-feira

(Foto: Divulgação/Chapecoense)


O jogo entre Chapecoense e Grêmio foi adiado. A partida estava marcada para a noite desta quarta-feira, mas será realizada às 20h desta quinta. A transferência foi decidida por causa do mau tempo em Chapecó, que fechou o aeroporto da cidade.

A Chape optou por ir de Porto Alegre (onde teve que fazer escala após o voo arremeter em Passo Fundo, norte do Rio Grande do Sul) para o Oeste de Santa Catarina de ônibus, com viagem prevista para durar oito horas. O Grêmio também teve problemas com o avião depois que a companhia aérea cancelou o voo fretado por causa das condições climáticas desfavoráveis e liberou seus jogadores antes mesmo da confirmação da CBF.

O Artigo 19 do Regulamento de Competições da CBF é o responsável por adiamento, interrupção ou suspensão de partidas, e enumera as seguintes justificativas: falta de segurança; mau estado do campo, de modo que a partida se torne impraticável ou perigosa; falta de iluminação adequada; ausência de ambulância no estádio; conflitos ou distúrbios graves no campo ou no estádio; procedimentos contrários à disciplina por parte dos componentes dos clubes ou de suas torcidas; ou fato extraordinário que represente uma situação de comoção incompatível com a realização ou continuidade da partida.

Apesar de o problema para deslocamento não fazer parte dos itens listados, há um precedente. Em 2013, na disputa da Série B, o América-MG não conseguiu chegar a Chapecó também por problemas no aeroporto da cidade e a partida foi adiada. Mais cedo, a delegação gremista chegou a se encontrar com o time da Chapecoense no aeroporto. Os técnicos Vagner Mancini e Renato Gaúcho conversaram rapidamente.

Depois do jogo com o Cruzeiro, no domingo, a Chape foi a Campinas para posterior deslocamento a Chapecó. Só que o aeroporto municipal está fechado desde a tarde de segunda-feira – e sem previsão de abertura. A equipe de Mancini dormiu em Campinas com a esperança de ter teto para pousar, sem sucesso.

O Grêmio não tomou a mesma posição da Chapecoense por questões de segurança. Um veículo do clube, com quatro funcionários gremistas e um de uma empresa de logística, sofreu um acidente e capotou a caminho de Chapecó. Ninguém ficou ferido com gravidade. Por isso, mantém a postura de não viajar de ônibus.

Globo Esporte