quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Mundial Pro Júnior: Pupo avança, e Herdy faz recorde com aéreo quase perfeito

 (Foto: WSL / Matt Dunbar)


O Brasil começou bem na primeira competição do ano na Austrália, com os brasileiros Samuel Pupo e Mateus Herdy ganhando as duas baterias que abriram o Mundial Pro Junior na quinta-feira em Kiama. Atual campeão sul-americano Pro Junior, Herdy fez os recordes da categoria masculina completando um aéreo full rotation quase perfeito de backside para ganhar nota 8,83 e chegar ao somatório 15,16 pontos. A vitória foi sobre o australiano Mikey McDonagh e o japonês Keanu Kamiyama.

- Eu sei que toda bateria vai ser difícil neste evento, então é um grande alívio começar com uma vitória - disse Mateus Herdy, que está sendo acompanhado na Austrália pelo seu tio, o ex-top do CT, Guilherme Herdy.

- Ter meu tio Guilherme aqui junto comigo ajuda muito. Ele me ensina muito sobre competição e estratégia, enquanto eu ensino ele sobre filmagem, então está sendo bom para mim ensinar-lhe coisas novas, enquanto ele me ensina coisas antigas (risos) - brinca.

O irmão mais jovem do ex-top do CT, Miguel Pupo, estreou na primeira bateria e usou a tática de ir em várias ondas, surfou mais de dez e somou duas notas 6 para superar o campeão americano Pro Júnior, Ryland Rubens, por 12,00 a 10,96 pontos. O francês Marco Mignot ficou em último com apenas 4,43. Os dois derrotados, porém, terão outra chance de passar para a terceira fase na repescagem já que o formato da competição é parecido com o utilizado nas etapas do CT.

- As ondas estavam bem divertidas lá fora, então tentei surfar o máximo possível para conseguir boas notas. Meu objetivo era postar duas notas de 6 a 7 pontos, pois estava difícil de conseguir maiores que isso, então tive que me contentar com essas duas ondas de 6 pontos. Esta é a primeira vez que eu participo do Mundial Pro Junior, então estou muito feliz em começar minha campanha aqui com uma vitória - disse Pupo.

Samuel Pupo vence na estreia do Mundial Pro Júnior na Austrália

Eles foram os únicos que passaram direto para a terceira fase, pois o saquaremense João Chianca terá um duelo eliminatório na próxima fase. Chianca está na sexta bateria da segunda fase com o francês Theo Julitte e quem perder de novo termina em 25º lugar no evento.

Tainá Hinckel perde e encara japonesa na repescagem

A campeã sul-americana de 2016, Tainá Hinckel, terminou em terceiro lugar no confronto que fechou a quinta-feira na Austrália. A catarinense somou 11,00 pontos, mas suas adversárias acharam ondas com mais potencial para manobrar e a australiana Sophia Fulton fez o segundo maior placar do dia, 15,54. Em segundo ficou a havaiana Summer Macedo com 13,40 nas duas notas computadas. Ela vai disputar a última vaga com a japonesa Shino Matsuda. Nesta primeira rodada eliminatória, quem perder novamente ficará em 13º lugar no ranking Pro Junior de 2017 da World Surf League, com 1.750 pontos.

A atual campeã sul-americana Pro Junior, Sol Aguirre, foi a primeira a estrear. Ela entrou logo depois da atual campeã mundial, Macy Callaghan, fazer os recordes do dia – nota 9,50 e 17,50 pontos. Só que o mar ficou ruim quando a peruana competiu e ela ficou em último com apenas 7,50 pontos, contra 10,17 da havaiana Zoe McDougall e 8,96 da americana Alyssa Spencer. Na repescagem, a peruana Sol Aguirre vai tentar aproveitar a segunda chance de classificação para a terceira fase contra a australiana Alyssa Lock.

Globo Esporte