sexta-feira, 23 de março de 2018

Presidente do Santos coloca preço para vender Zeca e revela conversa com jogador

 (Foto: Gabriel dos Santos)


O presidente do Santos, José Carlos Peres, afirmou nesta quinta-feira que não aceitará menos de 7 milhões de euros (R$ 28,4 milhões na cotação atual) pelos direitos do lateral Zeca, em disputa judicial com o clube. O dirigente revelou que teve uma conversa com o jogador para uma saída amigável e acredita que poderá negociá-lo nos próximos dias.

– Entendemos que menos de sete milhões de euros estamos desfazendo de um patrimônio do clube. Teve uma desavença, um desentendimento, o que é natural entre empregado e empregador, mas não podemos chutar isso. Estamos tentando fazer o melhor negócio com o Zeca para que o clube tenha algum dinheiro de volta – disse o dirigente.

Peres reconheceu que é quase impossível receber o valor integral das multas: 50 milhões de euros (R$ 203,4 milhões) para a Europa e R$ 50 milhões para o mercado brasileiro.

– Ele é um jogador que passou pela seleção olímpica, tem o seu valor. Se não tivesse, o Corinthians não teria comprado uma briga conosco gratuitamente. Existem negociações. Proposta, não. O Santos está otimista. É óbvio que estamos certos de que a justiça será feita.

O presidente reafirmou que o clube não tem qualquer dívida com Zeca e deu detalhes da conversa que teve com o lateral há alguns dias.

– O gestor anterior (Modesto Roma Júnior) pagou tudo. Existia uma dívida de fundo de garantia. Ele tem todos os salários absolutamente em dia. O Santos não deve nada. Ele (Zeca) reconhece isso. Conversamos, ele está mais disposto a colaborar também nessa venda – contou.

Zeca durante entrevista coletiva (Foto: reprodução) Zeca durante entrevista coletiva (Foto: reprodução)
Zeca durante entrevista coletiva (Foto: reprodução)
Peres não descarta até que Zeca volte a jogar pelo Santos, mas entende que, neste momento, a prioridade é negociá-lo.

– Nada é impossível. Não podemos descartar nada. Eu diria que tem todas as possibilidades, até essa (retorno).

– A ideia agora é fazer negócio. Ele segue a vida dele. Ele não tem raiva do Santos, não tem bronca nenhuma. Há dez dias tivemos uma conversa boa. O Zeca torce pelo clube. Foi mais por gestão mesmo. Ele se sentiu traído e tomou uma decisão extrema.

Globo Esporte