segunda-feira, 23 de abril de 2018

Com raça de Ginóbili, Spurs vencem os Warriors e evitam varrida nos playoffs

(Foto: John Glaser-USA TODAY Sports/Reuters)


Seja pelo técnico Gregg Popovich, ausente do banco de reservas nos últimos dois jogos depois da morte de sua mulher Erin, ou pela honra de veteranos que se recusam a perder, o San Antonio Spurs não se deixa vencer. Não na sua casa. Neste domingo, no seu ginásio, diante de uma torcida intensa, o time conquistou a vitória por 103 a 90 sobre o atual campeão Golden State Warriors e reduziu a vantagem do rival para 3 a 1 na série melhor de sete jogos da primeira rodada dos playoffs da Conferência Oeste da NBA, a liga americana de basquete. O próximo encontro acontece terça-feira, em Oakland.

Nem mesmo a grande atuação de Kevin Durant, cestinha do jogo, com 34 pontos e 13 rebotes, foi capaz de classificar os Warriors com mais uma varrida sobre os Spurs, o que já havia acontecido na final do Oeste na temporada passada. A raça de Manu Ginóbili, que fez 16 pontos, 10 deles no último quarto, e o poder de decisão de LaMarcus Aldridge, com 22, além de 10 rebotes, lideraram o time de San Antonio em uma atuação que certamente ficará na memória do torcedor, mesmo com a vitória na série ainda sendo um sonho distante, improvável e inédito.

Os Warriors tiveram um início irreconhecível, com uma série de desperdícios de bola, sete deles ainda no primeiro quarto. Até o jogo deste domingo, os Spurs não haviam conseguido uma vantagem maior do que oito pontos, mas desta vez foram além. Muito além. E se apresentaram como um real perigo aos atuais campeões, pelo menos na tentativa de evitar a varrida.

Klay Thompson demorou quase dois quartos inteiros para converter sua primeira bola de três, com dificuldades para fugir da forte marcação. Nem mesmo a quantidade absurda de rebotes ofensivos dos Warriors resolveu na primeira parte do jogo, um momento no qual apenas Kevin Durant teve relativa vantagem sobre seus marcadores, mas ainda abaixo do normal nesta série.

Do outro lado, os Spurs apostaram na força de seu jogo coletivo e contaram com alguns nomes em um dia especial, como Dejounte Murray, um arremessador nada confiável, que acertou as três tentativas de bolas de três nos dois primeiros períodos e terminou o jogo com 12 pontos. Além disso, alterou o sistema de marcação, colocando jogadores mais baixos em cima de Draymond Green, o que funcionou de certa forma, apesar de o jogador dos Warriors ter se transformado em uma máquina ainda mais poderosa nos rebotes, com um total de 18, sendo oito ofensivos - ele ainda fez nove pontos e nove assistências.

A reação dos Warriors aconteceu, como é de costume, no terceiro quarto, quando sempre consegue decidir seus jogos. Mesmo sem ser avassaladora, ela fez o time reduzir a vantagem que chegou a 17 pontos para apenas seis, graças a uma grande atuação de Durant. O jogador fez 13 pontos no período, sendo o único nome efetivo do atual campeão no ataque.

O técnico Steve Kerr ameaçou dar um descanso a Durant no começo do último quarto, mas ele durou apenas dois minutos, pois os Spurs colocaram novamente 10 pontos de vantagem. Praticamente sozinho, ele reduziu essa diferença para dois pontos a seis minutos do fim do jogo. San Antonio se reencontrou, e LaMarcus acertou uma bola de três improvável para fazer 93 a 86 com quatro minutos por jogar.

A resistência dos Spurs continuou com a raça de Ginóbili, a força de Rudy Gay, que fez 14 pontos, e mais uma bola decisiva de LaMarcus. O time com maior longevidade nos playoffs na atualidade se manteve vivo na competição, ainda que com uma desvantagem considerável na série. Mas vivo.

(2º) Golden State Warriors 3 x 1 San Antonio Spurs (7º)

Jogo 1 - 14/4 - Warriors 113 x 92 Spurs
Jogo 2 - 16/4 - Warriors 116 x 101 Spurs
Jogo 3 - 19/4 - Spurs 97 x 110 Warriors
Jogo 4 - 22/4 - Spurs 103 x 90 Warriors
Jogo 5 - 24/4 - Warriors x Spurs, a confirmar
Jogo 6 - 26/4 - Spurs x Warriors, a confirmar (se necessário)
Jogo 7 - 28/4 - Warriors x Spurs, a confirmar (se necessário)

Globo Esporte