sábado, 21 de abril de 2018

Nadal se impõe, bate Dimitrov e pega Nishikori na final em Monte Carlo

 (Foto: REUTERS/Eric Gaillard)


Valeu o esforço de Grigor Dimitrov (5º do ranking), mas, no fim das contas, não teve como impedir Rafael Nadal de chegar a mais uma decisão de Masters 1000 de Monte Carlo. Abrindo as semifinais deste sábado, o Touro Miúra controlou a partida a partir do segundo set e se classificou para a final com um triunfo nas parciais de 6/4 e 6/1.

Será a 12ª final de Nadal em Monte Carlo. O espanhol foi campeão do torneio em dez oportunidades, de 2005 a 2012, em 2016 e 2017. A briga pelo título da edição deste ano é neste domingo, contra o japonês Kei Nishikori (36º), que desbancou o alemão Alexander Zverev (4º) por 2 a 1, parciais de 3/6, 6/3 e 6/4, neste sábado. O SporTV 3 transmite a final ao vivo, a partir das 9h30 (de Brasília).

Do início ao fim, o primeiro foi bastante intenso. A começar logo pelo primeiro game, em que alguns ralis já entraram em cena. Também teve espaço para duas quebras em sequência, uma para cada lado. De tão equilibrada, a disputa poderia ter ido para o tie-break, mas num game crucial, quando estava à frente por 5/4, Nadal mostrou sua superioridade. Colocou pressão sobre o adversário com duas chances de fechar o set e liquidou na segunda, com uma paralela bem na linha.

Se a primeira parcial teve mais de uma hora de duração, a segunda foi bem diferente. Dimitrov perdeu a intensidade e permitiu duas vezes consecutivas ter o saque quebrado, sem impor qualquer dificuldade ao líder do ranking. O Miúra abriu 5/0 e só precisou esperar a próxima vez de sacar para encerrar a partida. Detalhe é que o espanhol fez 6/1 sem ter feito uma bola vencedora sequer na parcial.

Primeira final de Nishikori desde Buenos Aires em 2017

Será a primeira final de Nishikori desde Buenos Aires do ano passado e sua quarta em nível Masters. Ele perdeu as finais de Madri (2014), Miami e Canadá (2016). O japonês ficou cinco meses afastado no segundo semestre do ano passado devido a contusão no punho direito e não leva um torneio desde Memphis, em fevereiro de 2016.

Globo Esporte