segunda-feira, 2 de abril de 2018

Será? Dono de dois pódios no Barein, Grosjean vê Haas de novo competitiva

(Foto: Reprodução)


A Haas foi a grande surpresa do começo de temporada da Fórmula 1, na Austrália. Colocou Kevin Magnussen e Romain Grosjean na terceira fila e vinha com seus pilotos em quarto e quinto lugares quando a erros nas operações de pit stops de ambos os pilotos acabaram com a festa. Os dois abandonaram porque rodas não estavam com as porcas fixadas corretamente. Apesar da frustração, Grosjean tirou muitos pontos positivos da prova em Melbourne e vê a Haas com plenas condições de repetir o desempenho na segunda etapa do campeonato, no Barein.

- Prefiro abandonar brigando pela quarta ou quinta posição do que terminar toda corrida em 15º. O carro é ótimo, foi incrível, e nos deu muitas esperanças. Obviamente temos de ver como será em diferentes circuitos mas acho que foi um começo bem positivo. Um bom resultado nos ajudará a esquecer a Austrália. Vamos para o Bahrein, fazer o nosso trabalho como na Austrália, e ver o que vai acontecer. Espero que possamos ter outra boa surpresa - disse Grosjean.

O francês tem um excelente retrospecto no circuito de Sakhir. Quando pilotava para a Lotus, ele conseguiu dois terceiros lugares consecutivos, em 2012 e 2013. Grosjean exaltou o fato de que a pista barenita é formada por diversas retas largas com freadas fortes e curvas fechadas, o que propicia grandes disputas:

- Adoro pilotar no Barein, sempre me senti bem lá, e acho que é uma pista emocionante para pilotar e ultrapassar. É uma dessas pistas em que há muitas oportunidades para ultrapassar, o que é maravilhoso. Obviamente tem a curva 1, mas também as curvas 3, 11 e 15, todas fazem provavelmente um dos melhores circuitos para corridas.

Outro aspecto levantado pelo piloto da Haas foi a flagrante mudança nas condições de pista dos treinos, disputados de dia, e da corrida, que é realizada à noite, com temperaturas bem mais frias.

- Esse é o grande desafio do Barein, como é com Abu Dhabi. É algo que precisamos trabalhar no segundo treino livre. Você tem de estar seguro de que o carro trabalha bem em condições mais quentes e depois nas temperaturas mais amenas no fim do dia - finalizou.

Globo Esporte