terça-feira, 27 de setembro de 2016

Conmebol faz mudança e Libertadores será disputada de fevereiro a novembro

(Foto: Museu do Futebol/Divulgação)


A Conmebol anunciou nesta terça-feira (27) mudanças no calendário das duas principais competições entre clubes da entidade. Agora, a Copa Libertadores da América será disputada ao longo de toda temporada, enquanto a Copa Sul-Americana acontecerá entre os meses de junho a dezembro. As mudanças já serão válidas para a edição de 2017.

Em vez de ser realizada em 27 semanas, como a entidade estava acostumada a fazer, a Copa Libertadores agora será feita em 42 semanas, sendo jogada de fevereiro a novembro. Antes, a maior competição de clubes da América do Sul costumava acabar no mês de julho.

"As mudanças são um resultado de um estudo técnico que a Conmebol vem realizando há vários meses com consultores especializados e têm o objetivo de potencializar a qualidade do futebol sul-americano", divulgou a entidade por meio de um comunicado oficial.

"Por muito tempo os clubes tiveram que escolher entre o campeonato nacional e as copas continentais, e isso afetava a qualidade de ambas as competições. Essa mudança permitirá melhorar o desempenho esportivo nos torneios nacionais, protegerá os jogadores e potencializará a qualidade de jogo nas copas continentais", afirmou Alejandro Domínguez, presidente da Conmebol.

Outra novidade que já passará a valer a partir de 2017 é de que os dez clubes que não avançarem às oitavas de final terão a oportunidade de seguir competindo a Copa Sul-Americana. Além disso, os campeões dos dois torneios entrar diretamente na fase de grupos da próxima edição da Libertadores.

Segundo informações publicadas na manhã desta terça por Paulo Vinicius Coelho, blogueiro do UOL Esporte, uma comissão com três dirigentes brasileiros viajou para Assunção para uma reunião com a cúpula da Confederação Sul-Americana de Futebol. O encontro serviria para tentar ampliar a Libertadores já a partir de 2017, aumentar arrecadação dos clubes e aperfeiçoar o torneio do ponto de vista técnico. 

Além disso, a solicitação da comissão brasileira seria de aumentar uma vaga para cada federação continental, menos o México, país convidado. Com isso, o Brasil ganharia um representante a mais. O grupo formado tem o presidente do Atlético-MG, Daniel Nepomuceno, o presidente da Federação Mineira, Castellar Guimarães Neto, e o vice-presidente da CBF, Fernando Sarney.

UOL Esporte