quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Cleber descarta problema de lesão: "Querem me aposentar com 26 anos"

(Foto: Monique Silva)


Preparado, 100% e com sede de bola. Foi assim que o zagueiro Cleber se colocou à disposição do Coritiba até dezembro, quando encerra o seu contrato de empréstimo. Vindo do Santos, o defensor foi apresentado oficialmente à imprensa nesta quarta-feira, no CT da Graciosa, ao lado do meia Rafael Longuine e do presidente Rogério Bacellar.

Contratado por 2 milhões de euros (cerca de R$ 7,3 milhões) do Hamburgo, da Alemanha, o defensor chegou ao Santos com desequilíbrio muscular, sofreu com problemas físicos e perdeu espaço no elenco para Lucas Veríssimo, que se firmou no time titular. Questionado sobre a sua condição física atual, o zagueiro garante está bem, mas admitiu que se assustou com as notícias envolvendo as lesões antes de chegar ao Coritiba.

– Até eu estou assustado também. Fico até preocupado, estão querendo me aposentar com 26 anos de idade. Fiquei chateado. Eu estava com uma lesão na panturrilha, na pré-temporada (do Santos), não tinha nada a ver com joelho ou outras coisas. Eu tenho um desequilíbrio muscular, mas consegui estabilizar. Depois que fiz a cirurgia (no joelho), em 2010, os músculos não ficam os mesmos. Estava com fraqueza muscular e estou conseguindo recuperar bem. Nunca mais parei de treinar. Graças a Deus não tenho mais nada, estou tranquilo. Todos viram que estou bem - disse o jogador, que participou do jogo-treino realizado com o Andraus, na terça-feira.

O zagueiro foi revelado pelo Paulista de Jundiaí. Ele passou também por Itumbiara e Catanduvense antes de se destacar pela Ponte Preta, de 2012 a 2013, e ser contratado pelo Corinthians, em 2014. Após rápida passagem pelo Timão, foi vendido ao Hamburgo, onde disputou 44 jogos. No novo clube, ele reforça o discurso do Coritiba por uma vaga na Libertadores.

– Fico contente de estar aqui no Coritiba, um clube de tradição, que tem uma história maravilhosa. Pude sair do Brasil, tive uma experiência lá fora e fui feliz. Não me arrependo de nada. Hoje posso estar aqui e mostrar o que aprendi lá. Foram coisas positivas e espero ajudar o Coritiba o máximo possível para alcançarmos um objetivo maior, uma classificação na Libertadores, e deixar o Coxa onde ele deve estar, na primeira divisão - completou.

O jogador de 26 anos também falou sobre a saída do Peixe, com quem tem contrato até 2022 e o desejo de fazer uma "nova história" no Coxa.

– São escolhas pessoais. Sabemos da situação do Santos, mas é um desafio novo na nossa vida e carreira. Poder estar aqui, somar com todos, assim podemos ter um objetivo maior na carreira. Desde quando pisamos num clube mudam-se as ideias e interesses. Pra mim hoje o Santos não é mais o meu dia a dia. Espero fazer o meu melhor e construir uma nova história aqui.

– Quando construímos uma história não precisamos de muito tempo. Pode ser dois, um dia. Posso, sim, fazer uma história legal aqui. Até dezembro podemos classificar para a Libertadores, chegar ao topo, fazendo um trabalho legal. E quem sabe fica por aqui, né, acho legal. Olha aí, presidente - disse, às gargalhadas.

Natural de São Francisco do Conde, do Bahia, Cleber não disputa uma partida desde 11 de junho, quando entrou aos 40 minutos do segundo tempo na vitória por 2 a 0 sobre o Atlético-PR, em Curitiba, ainda sob o comando do interino Elano. Ele, porém, garante que está preparado para ser convocado pelo técnico Marcelo Oliveira.

– Faz tempo que não faço um jogo inteiro, um período difícil para mim, mas eu vejo com outros olhos. Vejo uma competição boa no meu setor, sei que tem grandes jogadores na minha posição. Venho pra somar. Espero que com o tempo e o professor quiser me utilizar, eu estou disponível. Estou bem. 100%, estou cheio de vontade de estar em campo, sentir adrenalina do campo.

Feliz no novo clube, Cleber escolheu a camisa 50 no Coritiba - o número foi usado em sua passagem pela Ponte Preta, onde foi campeão paulista do interior, em 2013, e eleito o melhor zagueiro da competição.

– É um número com o qual eu consegui alavancar a minha carreira, foi na Ponte Preta, onde consegui coisas boas na minha vida. Tive sorte. Queria ter usado (o 50) em outros clubes que passei, mas não aconteceu. Agora estou feliz de pegar esse número no Coritiba.

Caso seja regularizado até sexta-feira, Cleber pode ser relacionado por Marcelo Oliveira para a próxima partida da equipe alviverde, diante do Vitória, às 20h (horário de Brasília) de segunda-feira, no Couto Pereira, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Globo Esporte