domingo, 6 de agosto de 2017

Com novo modelo de pênaltis, Arsenal vence o Chelsea e é campeão da Supercopa

(Foto: Reuters)


Depois de fazerem o último jogo da temporada passada, na decisão da Copa da Inglaterra, Arsenal e Chelsea voltaram a se encontrar neste domingo, no primeiro confronto oficial de 2017/18, pela final da Supercopa da Inglaterra. E, mais uma vez, teve vitória dos Gunners. Depois de um empate em 1 a 1 no tempo normal, com gols de Moses e Kolasinac, a disputa foi para os pênaltis. E, com a novidade no modelo das cobranças, no estilo "tie-break", o time de Arsène Wenger foi mais eficiente e venceu por 4 a 1 para ficar com o título.

Nos pênaltis, a mudança ficou por conta da ordem das cobranças. O Chelsea começou batendo, depois o Arsenal chutou duas vezes seguidas. A partir daí, as equipes se revezaram em duas cobranças cada até a definição de um vencedor. Caso o empate permanecesse até o 10º chute, aí sim teríamos cobranças alternadas.

Depois de Cahill converter a primeira, Walcott e Monreal colocaram o Arsenal na frente. Quando teve duas chances de chute, o goleiro Courtois e Morata mandaram para fora. Chamberlain fez o terceiro dos Gunners, e Giroud garantiu a vitória por 4 a 1.

O Arsenal repetiu o esquema de 3-4-3, que deu certo na reta final do Campeonato Inglês, e iniciou o jogo pressionando o Chelsea. Nos 10 primeiros minutos, Courtois foi obrigado a fazer duas defesas para evitar o gol dos Gunners. Aos 22, Lacazette recebeu na área e acertou a trave. Passado o susto, os Blues equilibraram as ações e foi a vez de Cech fazer duas ótimas intervenções nos chutes de Moses e Pedro. Apesar da boa movimentação, o placar seguiu em branco até o intervalo.

Logo com um minuto do segundo tempo, o Chelsea abriu o placar. Cahill cabeceou para o meio da área, a defesa do Arsenal cochilou, e Moses apareceu livre para balançar a rede. Os Blues ainda tentaram pressionar, mas logo se postaram mais na defesa, esperando os contra-ataques. Courtois salvou aos 30, num chutaço de longe de Xhaka. Aos 34, no entanto, Pedro mudou a história do jogo: fez uma falta dura, desnecessária, por trás e foi expulso. Na cobrança, bola na área e Kolasinac empatou, aos 36. Nos acréscimos, Morata teve boa chance, mas cabeceou para fora, e a disputa foi para os pênaltis.

Pressionado na temporada passada após campanha irregular do Arsenal, Wenger se reinventou. Mudou o esquema de jogo, viu o time crescer e conquistou dois títulos nos últimos meses: a Copa da Inglaterra e a Supercopa, ambos em cima do Chelsea.

Globo Esporte