segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Falta de vento cancela regatas e adia estreia de Scheidt no Mundial

(Foto: Divulgação)


A falta de vento impediu a largada das regatas no primeiro dia do Campeonato Mundial de 49er, na cidade do Porto, em Portugal. Com isso, Robert Scheidt e Gabriel Borges esperam iniciar a disputa nesta terça-feira (29). “Ficamos o dia todo na expectativa, mas só tivemos vento girando entre dois a quatro nós, insuficiente para começar a disputa. Com isso, a programação foi cancelada e passa para amanhã (terça)”, disse o velejador, patrocinado pelo Banco do Brasil e Rolex, com os apoios do COB e CBVela.

Bicampeão e maior medalhista olímpico do Brasil, Scheidt faz sua estreia na maior e mais importante competição na nova classe. Consagrado na Star e Laser, o atleta de 44 anos disputa sua primeira temporada na 49er. Encara o desafio de velejar em um barco maior, mais veloz e com estratégias diferentes a fim de iniciar um novo ciclo olímpico, visando os Jogos de Tóquio, em 2020.

Recentemente, Scheidt e Borges disputaram o Campeonato Europeu. Em 15 regatas, conquistaram duas vitórias e encerraram a participação em 31º lugar, com 103 pontos perdidos, entre 92 barcos. “Aprendemos muito e deixamos o Europeu um pouco melhor do que chegamos. Estreamos um novo barco aqui e sabemos que tudo faz parte do nosso aprendizado na 49er”, completou o atleta sobre a disputa em Kiel, na Alemanha.

Além de Scheidt e Borges, o Brasil terá também Carlos Robles e Marco Grael. As regatas serão disputadas diariamente e têm início previsto para 6h55 (horário de Brasília). A competição este ano conta com 84 tripulações na 49er. O campeonato vai até o dia 2 de setembro, data da regata da medalha. No feminino, o país será representado por Martine Grael com Kahena Kunze, dupla campeã olímpica nos Jogos Rio 2016.

Crescimento - A evolução de Robert na 49er pode ser comprovada pelo seu desempenho. Na Copa Brasil, no início de março, em Porto Alegre, venceu quatro regatas, as primeiras na nova categoria, conquistando a medalha de prata. Antes de competir em águas brasileiras, disputou a etapa de Miami da Copa do Mundo de Vela, em janeiro. E conseguiu o 16º lugar na disputa que reuniu 26 barcos com os melhores iatistas do planeta. Na Miami Mid Winters, também no início de 2017, obteve o 11º lugar no campeonato que envolveu 17 competidores. No final de março, correu o Troféu Princesa Sofia e novamente fez um 11º lugar.

ZDL