sexta-feira, 25 de maio de 2018

Após frustração no Mundial Indoor, Thiago Braz volta a competir nos EUA

(Foto: Reprodução)


Com a presença de quatro brasileiros, começa nesta sexta-feira a terceira etapa da Diamond League em Eugene, Oregon, nos Estados Unidos. Campeão olímpico no salto com vara dos Jogos Rio 2016, Thiago Braz será o primeiro brasileiro a competir no Estádio Hayward Field e terá como principais adversários o francês recordista mundial Renaud Lavillenie e os campeões mundiais Sam Kendricks, dos EUA (2017), Shawn Barber, do Canadá (2015), e Raphael Holzdeppe, da Alemanha (2013). A prova que abre o programa do Prefontaine Classic está prevista para começar às 18h37 (22h37 no horário de Brasília). Os outros brasileiros inscritos na etapa são o triplista Almir dos Santos, o fundista Thiago André e Darlan Romani, do arremesso do peso.

- A expectativa é a melhor possível. Vai ser minha primeira competição da temporada outdoor. Tenho me esforçado ao máximo nos treinos e isso me ajudou a melhorar algumas coisas. Espero alcançar o resultado esperado - disse Thiago Braz.

Em sua conta no Instagram, Thiago Braz pediu apoio da torcida para esta estreia na temporada ao ar livre.

Já o francês Lavillenie preferiu conquistar o público local ao postar uma foto na pista de Eugene vestindo o uniforme da equipe de atletismo da Universidade de Oregon.

O brasileiro começou o ano com um ótimo resultado, conquistou a prata em janeiro no Indoor Meeting (pista coberta) de Berlim, na Alemanha. Thiago não competia desde julho de 2017, quando se lesionou na etapa da Diamond League em Rabat, no Marrocos. Durante a preparação para a temporada 2018 com o técnico ucraniano Vitaly Petrov no Palaindoor de Pádova, na Itália, o brasileiro desenvolveu uma nova técnica que exige 18 passadas para o salto. O objetivo é aumentar as chances de atingir com mais regularidade resultados acima de 6m. Em Berlim, a novidade foi colocada em prática, mas Thiago não alcançou a marca, saltou para 5,70m, ficando com a segunda posição. A prova foi vencida pelo polonês Lisek Piotr, com 5,83m.

Já em fevereiro, na segunda competição do ano, a etapa de Karlsruhe do IAAF World Indoor Tour, ainda na Alemanha, o atleta do Pinheiros queimou as três tentativas de saltar 5,45m e foi eliminado. No torneio seguinte, o Meeting Indoor Perche Elite Tour na Kindarena de Rouen, na França, evento reservado ao salto com vara, o brasileiro travou novamente um duelo de alto nível com o francês Renaud Lavillenie, dono do recorde mundial (6,16m) e da polêmica prata em 2016, quando criticou a postura da torcida brasileira, que o vaiou no Estádio Olímpico. Thiago e Lavillenie dividiram a primeira colocação no torneio, com a marca de 5,90m. Os dois assumiram a liderança do ranking mundial Indoor da IAAF.

Longe do excelente resultado obtido na França, Thiago Braz terminou a Copernicus Cup, em Torum, na Polônia, na sexta colocação ao saltar para 5,50m. Foi a última competição preparatória para o Mundial Indoor de Birmingham (GBR), realizado em março. Subir ao pódio no Mundial era a principal meta do brasileiro para 2018. Mas ele acertou apenas um dos seis saltos executados na Barclaycard Arena, não superou a barreira dos 5,80m e ficou fora da final, despedindo-se na 12ª colocação.

Para saltar na noite desta sexta em Eugene, Thiago Braz fez treinos ao ar livre na cidade italiana de Fórmia. Quase um ano após se lesionar, ele terá dificuldades para atingir os 6,03m que o transformaram em recordista olímpico no Rio. Mas o brasileiro está confiante para buscar o melhor resultado possível. Após esta etapa da Diamond League, Thiago participa do Golden Gala de Roma, na Itália, no próximo dia 31.

Confronto Gatlin x Coleman é adiado novamente

Ainda não será desta vez o tão aguardado reencontro dos americanos Justin Gatlin e Chris Coleman para a disputa dos 100m rasos. O confronto era uma das grandes atrações da etapa anterior da Diamond League, em Xangai, na China. Mas Coleman preferiu se poupar e não competiu. Gatlin terminou em sétimo lugar com irreconhecíveis 10s02. O duelo, agora, está previsto para o fim de junho em Des Moines, Iowa, durante o Campeonato Nacional de Atletismo dos EUA.

Os velocistas não se enfrentam desde a dobradinha no pódio do Mundial de 2017, prova marcada pela despedida do astro jamaicano Usain Bolt, que levou a medalha de bronze. Na ocasião, Gatlin conquistou o ouro e se tornou bicampeão mundial ao cravar 9s92. Coleman ficou com a prata (9s94) e Bolt chegou 0s01 depois. Em entrevista à agência Reuters, o agente de Gatlin, Renaldo Nehemiah, revelou que o atleta de 36 anos desistiu de correr em Eugene por conta de uma lesão na parte posterior da coxa direita sofrida em uma disputa de revezamento 4x100m no último fim de semana no Japão.

- Decidimos que Justin não vai correr o Prefontaine. A esta altura da carreira de Justin, precisamos ser precavidos - disse. Ainda segundo Nehemiah, caso a recuperação siga progredindo, o próximo compromisso de Gatlin será a prova dos 100m em Ostrava, na República Tcheca, dia 13 de junho.

Chris Coleman, por sua vez, abriu mão de competir nos 200m em Eugene para focar apenas nos 100m. Em fevereiro, Coleman quebrou o recorde mundial dos 60 metros em pista coberta pela segunda vez este ano, chegando a 6s34. Por isso, a expectativa é grande pela estreia do jovem americano de 22 anos na temporada ao ar livre. Como principais oponentes, Coleman terá o homem mais rápido do mundo na temporada de 2018, o americano Ronnie Baker, que correu a prova em 9s97 em abril, além do chinês Su Bingtian, vice-campeão mundial em pista coberta, e do britânico CJ Ujah, vencedor da corrida diamante em 2017.

A disputa feminina dos 400m é outro evento bastante aguardado pois vai reunir a campeã olímpica Shaunae Miller-Uibo, de Bahamas, as americanas Phyllis Francis, ouro no Mundial de 2017, e Courtney Okolo, campeã mundial indoor, além da estrela e queridinha da casa, Allyson Felix, dona de seis medalhas olímpicas e 11 títulos mundiais. Já a prova feminina dos 100m terá o duelo da americana Tori Bowie, campeã mundial, contra a jamaicana Elaine Thompson, campeã olímpica.

A disputa masculina do arremesso do peso também promete ser acirrada. Estão confirmados o líder e campeão mundial, Tom Walsh, da Nova Zelância, o americano campeão olímpico Ryan Crouser, o campeão mundial de 2015 Joe Kovacs, também dos EUA, e o campeão mundial de 2011 e 2013, David Storl, da Alemanha. A prova, que encerra as disputas de campo no Estádio Hayward Field, também terá a presença do brasileiro Darlan Romani, quarto colocado no Mundial Indoor de Birmingham (GBR), no início de março.

Agenda dos brasileiros

Sexta-feira
22h37 - Salto com vara masculino (Thiago Braz)

Sábado
16h43 - Salto triplo (Almir dos Santos) 
17h58 - Arremesso de peso (Darlan Romani) 
18h52 - Milha (Thiago André)

Globo Esporte