terça-feira, 1 de maio de 2018

Benzema e Navas resolvem, e Real segura pressão para ir à terceira final seguida

(Foto: Reuters)


O Real Madrid jogará a sua terceira final seguida de Liga dos Campeões e vai em busca do quarto título continental em cinco anos. Em nova noite apagada de Cristiano Ronaldo, dois heróis inesperados apareceram. Benzema voltou ao time titular para fazer os dois gols merengues no empate em 2 a 2 com o Bayern de Munique, nesta terça-feira, no Santiago Bernabéu. Do outro lado, o criticado Keylor Navas segurou a pressão bávara e, em mais de uma ocasião, evitou o gol que tiraria o time de Zinedine Zidane da briga. O valente Bayern dá adeus com uma atuação de encher os olhos, mas voltou a ser prejudicado por uma falha individual, desta vez do goleiro Ulreich.

Após a vitória por 2 a 1 na Alemanha, o Real levou a melhor por 4 a 3 na soma das duas semifinais - um gol do Bayern no fim classificaria os alemães por conta dos gols marcados fora de casa. Agora, o time de Zidane espera a definição da semifinal entre Roma e Liverpool nesta quarta-feira (os ingleses venceram a ida em casa por 5 a 3) para conhecer seu adversário na grande final, dia 26 de maio em Kiev.

Na ida, um passe errado de Rafinha permitiu o gol de Assensio que garantiu a vitória de virada do Real por 2 a 1. Nesta terça-feira, outra falha, essa ainda mais grosseira, pesou -e muito - contra o Bayern. Logo no primeiro minuto do segundo tempo, Tolisso recuou, e Ulreich, sem saber se colocaria a mão ou o pé na bola, deixou Benzema com o caminho livre para fazer o segundo dos anfitriões no jogo. Pecado que pode ter custado a classificação.

Com 56% de posse de bola e oito chutes a gol (contra apenas três do time da casa), o Bayern foi melhor desde o início e saiu na frente com Kimmich logo aos três minutos de jogo, após Sergio Ramos errar ao tentar cortar a bola. O empate do Real veio aos dez, com Benzema de cabeça depois de cruzamento preciso de Marcelo.

O jogo continuou muito bom, com vantagem para os bávaros, mas o gol que saiu foi da virada dos espanhóis, diante do erro de Ulreich no primeiro minuto da etapa final. James ainda colocou fogo na semifinal ao fazer valer a lei do ex, empatando aos 17. Daí em diante, o domínio foi todo bávaro, mas aí foi a vez de Navas sair como herói.

Cristiano Ronaldo faz sua 152ª participação em um jogo de Liga dos Campeões, mais que qualquer outro jogador na história da competição (com um a mais que Xavi). Mas, a exemplo do primeiro jogo da semifinal, teve atuação bem abaixo da expectativa. Seu grande momento foi um chute em cruzamento de Marcelo que passou sobre a meta - naquele momento, poderia ter feito 3 a 1 e deixado a classificação encaminhada. Estava o melhor do mundo guardando algo para a final?

Uma surpresa na escalação do Real. Kovacic apareceu na vaga de Casemiro no meio de campo - e o brasileiro, um dos pilares do time de Zidane, só apareceu no time nos minutos finais para segurar a pressão alemã. Na linha de frente, as mudanças foram efetivas. Asensio e Benzema pegaram os postos de Isco (lesionado) e Lucas (deslocado para a lateral diante da ausência de Carvajal), e o francês mostrou seu lado mais decisivo.

Os jogadores do Bayern pediram dois pênaltis na etapa inicial. No primeiro, Lewandowski caiu na área em dividida com Sergio Ramos. No segundo, nos acréscimos, a bola bateu na mão de Marcelo em cruzamento, mas o juiz mandou seguir - para reclamação dos alemães 

Globo Esporte