quarta-feira, 2 de maio de 2018

Grêmio alia show a competitividade e "põe na roda" principal rival do grupo da Liberta

(Foto: Wesley Santos/Agência PressDigital)


Compromisso após compromisso, o Grêmio demonstra não ter chegado ao seu limite mesmo com o título da América de 2017. De pé em pé, construiu a goleada por 5 a 0 sobre o Cerro Porteño, principal rival dentro do Grupo 1, envolveu o adversário de maneira acachapante e fez parecer fácil dar show em plena Libertadores, considerada sempre palco de jogos mais aguerridos e com a qualidade por vezes deixada de lado.

Mas não por este Grêmio, o atual campeão e já claramente candidato ao Tetra. Em três minutos, matou o jogo. Foi esta a diferença entre o gol de Everton, em pifada de Jael, e o de Ramiro, após cruzamento de Bruno Cortez. A partir de então, apenas desfrutou.

Especialmente no segundo tempo, criou chance atrás de chance e naturalmente consolidou o 5 a 0 - Jael, Everton e Cícero completaram o placar (veja os gols acima). E quem estava no estádio pôde fazer o mesmo, ao gritar “olé”, ovacionar nomes como Ramiro e Jael e aproveitar uma fase histórica do clube.

O modelo de jogo de pé em pé, com movimentação constante e baseado no jogo ofensivo arranca sorrisos do mais carrancudo torcedor. O que mais foi possível ver percorrendo os corredores da Arena eram gremistas satisfeitos. Uma “lua de mel”, conforme definiu Renato após a vitória. As peças se movem com naturalidade do tamanho da Arena.

- O pessoal está bem afinado. São obedientes, inteligentes. É um futebol que tem agradado todo mundo. Não só a diretoria, o torcedor, mas o Brasil todo. Fico satisfeito. Tem encantado com o que tem feito dentro do campo. Muitas vezes você vê um time jogar por música e não consegue vitórias nem títulos. O que temos conseguido, que é o mais importante - apontou o técnico Renato Portaluppi.

Em determinado momento no segundo tempo, a empolgação transbordou da garganta dos mais de 44 mil gremistas com os gritos de "olé". Tem sido algo constante, por conta das exibições de nível alto. A troca de passes envolvente é um selo deste time do Grêmio, mas a volúpia por sempre buscar o gol evita uma partida "chata". Um pedido sempre colocado pelo técnico gremista. O show se encontra com a mentalidade competitiva.

- Fica fácil porque jogamos simples, não inventamos, procuramos jogar o futebol que a gente sabe. O Renato sempre fala para quando tiver oportunidade, matar o adversário, que o jogo vai se tornando mais fácil. Com amizade, companheirismo, um dando passe para o outro, os caras fazendo gols, o jogo tende a ficar mais fácil. Temos procurado fazer isso sempre - opinou Léo Moura.

Os números comprovam a eficiência do Grêmio. Em dois jogos na Arena pela atual edição da Libertadores, por exemplo, chegou aos nove gols marcados e nenhum sofrido. De acordo com o footstats, o Tricolor ainda lidera diversos quesitos na competição, como finalizações e passes certos.

Com oito pontos, o Grêmio é o líder do Grupo 1. Tem pela frente Monagas, na Venezuela, dia 15, e Defensor, na Arena, no dia 23. O planejamento é computar seis pontos e tentar se tornar a melhor campanha da primeira fase. O próximo compromisso é no domingo, contra o Santos, pelo Brasileirão. A reapresentação do elenco ocorre na tarde desta quarta-feira, no CT Luiz Carvalho.

Globo Esporte