Rei dos clássicos, Adilson valoriza primeiro duelo contra Palmeiras

Time de Adilson perdeu chance de assumir a vice-liderança. Foto: Agência Lance

Com bom retrospecto em clássicos, Adilson Batista ressalta qualidade técnica do rival Palmeiras

Desde 2008, quando assumiu o Cruzeiro, Adilson Batista mostrou que sabe ganhar clássicos. Em 18 duelos contra arquirrivais regionais neste período, alcançou 12 vitórias, três empates e três derrotas. E não admite o termo "confronto esvaziado" para definir seu primeiro clássico diante do Palmeiras, neste domingo, apesar da má fase dos dois clubes. O técnico do São Paulo valoriza o rival como motivação para a sua estreia no confronto.

"A história mostra que é sempre difícil. É um adversário tradicional, que tem qualidade e realiza um ótimo trabalho", elogiou Adilson, fã de Luiz Felipe Scolari, que foi seu técnico, e de Kleber, comandado seu no Cruzeiro. "Eles têm jogadores com qualidade para fazer gol, bola parada, um artilheiro cujo potencial eu conheço. Precisamos ter cuidado."

O alerta vem de alguém que tornou o Cruzeiro quase imbatível diante do Atlético-MG entre 2008 e 2010. Conquistou 12 triunfos, teve três igualdades e só perdeu uma vez, quando optou por não escalar força máxima na equipe celeste. Fora de Minas Gerais, mostrou em São Paulo, e contra o clube tricolor paulista, a sua força nestes encontros. Pelo Corinthians, no Brasileiro do ano passado, venceu Santos e São Paulo e empatou com o Palmeiras.

À frente do Santos, no começo do Campeonato Paulista desta temporada, bateu o São Paulo novamente e perdeu do Corinthians. Já no Atlético-PR, seu último clube antes de chegar ao Morumbi, foi vencido por um Coritiba recordista de vitórias seguidas no Brasil.

Com este histórico, Adilson Batista estabeleceu, desde 2008, 72,2% de aproveitamento em clássicos. Sabe bem que sair vencedor desses jogos vale mais do que a soma de três pontos. "É sempre importante. Traz tranquilidade, confiança, melhora a pontuação e aproxima os objetivos. Já vivenciei isso", declarou.

Para repetir o desempenho pessoal, insiste no pedido por concentração a seus comandados. "Clássicos são sempre jogos duros. Independentemente do número de vitórias que consegui, existe a cobrança. Precisamos de inteligência para fazer coisas importantes e tentar vencer o Palmeiras", recomendou.

Em partida válida pela 18ª rodada do Campeonato Brasileiro, São Paulo e Palmeiras se enfrentam neste domingo, às 16h (de Brasília), no Estádio do Morumbi.

Comentários

  1. Boas!

    Devo dizer que gosto imenso deste blogue!

    Podem adicionar os meus aos vossos links? Eu prometo que retribuo :p

    http://davidjosepereira.blogspot.com/

    Saudosos cumprimentos!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Deixe seu comentário!