quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Acerto entre Confederação e COB torna skate carro chefe do Brasil para 2020

(Foto: Reprodução)


Uma ótima notícia para o skate brasileiro foi divulgada nesta semana. Após mais de um ano de muita polêmica, o Comitê Olímpico do Brasil (COB) filiou a Confederação Brasileira de Skate (CBSk) e deu fim a disputa politica que colocou em xeque a participação dos principais atletas do país.

Com isso, é certo que o skate brasileiro será representado por seus melhores atletas na Olimpíada de Tóquio 2020. E isso vai transformar o quadro de medalhas do Brasil.

Atualmente, o país tem dois carros chefes: judô e vôlei. Na última Olimpíada, juntos, levaram seis medalhas, três de ouro, uma de prata e duas de bronze. Se somarmos as últimas cinco edições dos Jogos, são 14 pódios nos tatames e 17 nas praias e quadras.

Com a notícia dessa semana, ficou claro que, para Tóquio 2020, serão três carros chefes, com a entrada do skate.

No esporte das rodinhas, serão distribuídas quatro medalhas de ouro: Street, feminino e masculino, e Park, também entre homens e mulheres. O tradicional Half, conhecido por muitos, não é uma categoria olímpica.

Nos Campeonatos Mundiais de 2017, por exemplo, o Brasil levou três medalhas: Letícia Buffoni foi Prata no street, Kevin Hoeffler foi bronze também no Street e, por fim, Pedro Barros foi prata no Park.

Além disso, o país também colocou nomes entre os primeiros colocados no Mundial de street. Carlos Ribeiro, por exemplo, foi sexto colocado, enquanto Tiago Lemos ficou em oitavo. Isso sem contar Luan Oliveira, que há anos está entre os principais atletas do mundo, mas sofreu com lesões recentemente. No feminino, Pamela Rosa brigou até o fim pela medalha, mas acabou em quinto. No Park masculino, Murilo Peres também está entre os melhores do planeta.

O Park feminino é a modalidade mais fraca do país e, ainda assim, o Brasil tem nomes competitivos, como Yndiara Asp, que foi oitava no Mundial deste ano, e Dora Varella.

Ou seja, o Brasil chegará aos Jogos de Tóquio com seis, sete ou até oito chances de medalha no skate. 

Claro que chance de pódio é uma coisa, a medalha concretizada é outra, mas as possibilidades do skate ser o esporte mais vencedor do país em Tóquio 2020 é grande.

Globo Esporte