segunda-feira, 6 de novembro de 2017

Acusado de favorecer time do coração, chefão do VAR na Alemanha é demitido

(Foto: Reprodução / YouTube)


Hellmut Krug, chefe do centro de controle encarregado por supervisionar o árbitro de vídeo (VAR) na Alemanha, foi demitido do cargo nesta segunda-feira pela Federação do país (DFB). Ele é acusado de favorecer o Schalke, seu time do coração. A DFB nomeou como substituto o ex-árbitro Lutz Michael Fröhlich, que prometeu em comunicado "transparência nos procedimentos".

O diário “Bild” informou que Krug, que é ex-árbitro, interveio em duas ocasiões numa mesma partida para favorecer o Schalke contra o Wolfsburg no empate por 1 a 1, no último dia 28 de outubro, quando o VAR foi utilizado para decidir sobre um possível pênalti. Krug negou as acusações de favorecimento.

– Como supervisor, nós não estamos autorizados a influenciar ou anular as decisões dos assistentes de vídeos – alegou Krug, em declarações reproduzidas pela “Deutsche Welle”.

O lance mais polêmico da partida foi aos 43 minutos da primeira etapa. O árbitro de vídeo assinalou penalidade máxima do meia francês Josuha Guilavogui, do Wolfsburg, em cima do zagueiro alemão Thilo Kehrer. A infração não havia sido marcada pelo árbitro principal, Markus Schmidt. À “Deutsche Welle”, Marco Fritz, árbitro de vídeo na polêmica partida entre Schalke e Wolfsburg, defendeu o ex-supervisor.

– Em todas as situações checadas no centro de revisão em Colônia, a decisão de intervir é feita pelo árbitro de vídeo. Isso foi o caso do jogo entre Schalke e Wolfsburg – declarou Fritz.

O VAR vem sendo criticado principalmente pela demora excessiva entre a ação em dúvida e a decisão do árbitro após consultar o vídeo. Em final de outubro, a DFB pediu uma maior utilização do recurso durante os jogos, inclusive quando o árbitro não cometeu erros evidentes. O sucessor de Krug, Michael Fröhlich, reforçou que espera que a autoridade do juiz em campo não seja retirada.

– Para mim, o importante é que o árbitro mantenha suas responsabilidades em campo e que tanto os jogadores como os espectadores tenham confiança nele – explicou seu sucessor, Lutz Michael Fröhlich.

Apesar da polêmica, o presidente da Federação alemã, Reinhard Grindel, reforçou o discurso de apoio à utilização do vídeo no futebol.

– Eu ainda acredito no projeto, uma vez que todos definam claramente suas funções e se atenham a elas, eu tenho certeza que isso pode ser algo muito bom para o futebol – declarou.

Globo Esporte