quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Danilo promete treinar nas férias e evita falar em aposentadoria no Corinthians

(Foto: Daniel Augusto Jr. / Agência Corinthians)


Mesmo com um currículo repleto de títulos, o meia Danilo não se acomoda. Aos 38 anos, ele evita falar em aposentadoria e promete treinar durante as férias para começar 2018 com condições de brigar pela titularidade.

O jogador, que renovou contrato com o Timão até o fim do ano que vem, atuou apenas uma vez nesta temporada, diante do Fluminense, no jogo que marcou o título brasileiro. Ele falou que não sabe se enfrentará o Sport, domingo, na Ilha do Retiro, pela última rodada.

– Quero me preparar nas férias, fazer uma boa pré-temporada e voltar bem em 2018. Não pode (parar), estou há muito tempo parado, tenho que continuar bem. Vou ver com a comissão o que tem que fazer para voltar bem na pré-temporada – afirmou.

Indagado a se próxima temporada seria a sua última como atleta profissional, o veterano disse:

– Tem que viver ano a ano. Futebol é assim. O primeiro passo é voltar a jogar. O outro é esperar fazer um ano bom. Tudo depende de como vou estar. Vamos esperar até o fim do ano que vem para decidir.

Confira abaixo os principais trechos da entrevista coletiva de Danilo:

JOGA 90 MINUTOS?
É pesado, muito tempo fora. Tem jogadores esperando oportunidade o ano inteiro também. Estou louco para jogar, mas precisa do ritmo. Estou há muito tempo parado. Vou trabalhar na pré-temporada para em 2018 estar igual a todo mundo.

HISTÓRIA
No futebol o que fica marcado são as histórias. Logo eu vou parar de jogar, mas vou passar isso para os outros jogadores. Você sai, mas fica marcado, sua fotinho tem que estar ali.

VOLTA POR CIMA
Não foi fácil o que passei, mas tem que ter a cabeça boa. Teve momento de voltar a pisar no chão, voltar a trotar, voltar a correr... Ouvi que não voltaria a jogar e a cada dia fui superando. Voltar a jogar foi fundamental para dar a volta por cima.

CARINHO DA FIEL
Isso é importantíssimo. Mesmo quando eu estava fora via nas redes sociais, é um estímulo a mais. Tenho que agradecer muito a Deus pelos momentos que passei aqui. Sou um jogador que antes nunca tinha tido uma lesão séria. A torcida foi fundamental para eu voltar e me dedicar bem.

VAI MUDAR DE POSIÇÃO?
Quem decide quem joga é o treinador, mas eu sou meia-atacante. Já joguei de centroavante também, não sendo um homem fixo, mas voltando, armando a jogada, fazendo o pivô. Sei jogar de costas, isso ajuda. Mas tem que esperar o ano que vem. Onde o Carille optar por mim, estarei à disposição.

Globo Esporte