sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Descontente com propostas para 2021, presidente da Ferrari considera sair da F1

(Foto: Reprodução)


O novo plano da Liberty Media para o regulamento técnico da Fórmula 1 em 2021 despertou opiniões controversas entre os principais times da categoria. A Ferrari, porém, se mostrou definitivamente contra as propostas, e agora ameaça sair da categoria se não estiver feliz. Em uma conferência com analistas, nesta quinta-feira, para discutir os mais recentes resultados financeiros da montadora italiana, o presidente Sergio Marchionne disse que não ficou impressionado com as direções que a Liberty propôs, incluindo o futuro sobre os motores.

- A Liberty tem algumas boas intenções em tudo isso, e uma delas é reduzir o custo da equipe, o que acho que é bom. Há algumas coisas com as quais eu necessariamente não concordo. Uma delas é o fato de que um trem de força padronizado não será um dos fatores a distinguir os participantes. Eu não toleraria isso para o futuro. O fato é que nós aparentamos estar em desacordo em termos de desenvolvimento estratégico desta coisa, e vemos o esporte em 2021 levando um ar diferente, o que irá provocar algumas decisões por parte da Ferrari.

Sob um acordo bilateral, a Ferrari está comprometida com a Fórmula 1 até o término da temporada 2020, mas, por enquanto, não existe acordo para além desta data. E, caso não encontre condições que considere ideais, Marchionne não descarta tirar a montadora italiana do campeonato, no qual compete desde 1950.

- Entendo que o Liberty pode ter as levado em consideração ao apresentar suas visões, mas acho que precisa ficar absolutamente claro que, a menos que encontremos uma série de circunstâncias, os resultados que serão benéficos à manutenção da marca e o seu mercado, e para reforçar a posição única da Ferrari, a Ferrari não participará mais.

Em um encontro realizado na última terça-feira, em Paris, a FIA, Fórmula 1, representantes das equipes e fabricantes de motores discutiram as principais mudanças para a nova geração de unidades, que passam a valer a partir de 2021. Uma nova reunião deve ser realizada no decorrer da próxima semana.

- As equipes e construtoras se reuniram com a Fórmula 1 e os chefes da FIA para discutir as controversas propostas de motores para 2021, e outras reuniões devem acontecer na próxima terça-feira, com o encontro do Grupo Estratégico. Não quero julgar nada disso antes da hora. Nos reuniremos na próxima terça com a melhor das intenções e vamos ver onde isso nos leva.

As premissas para os novos motores são as de reduzir os custos atuais, manter a tecnologia híbrida para servir de desenvolvimento dos carros de rua, além de melhorar o som emitido pelos carros - com o intuito de aumentar o espetáculo em prol dos fãs. As ideias apresentadas foram desenvolvidas pela FIA e Fórmula 1 com base em dados e ideias dos times, fornecedores de motores, além de especialistas de fora do circo da categoria, mas ainda precisam ser ratificadas antes de passarem a valer.

Globo Esporte