Salah, Firmino e Mané batem recorde de gols e carregam Liverpool para a final

(Foto: Reprodução)


BBC, MSN e todas as demais siglas possíveis não são páreo para o trio ofensivo formado por um brasileiro, um egípcio e um senegalês. Ao menos, não quando o assunto é Liga dos Campeões. Pilares do ataque mais positivo da atual edição da Champions, Salah, Firmino e Mané deixaram para trás um recorde expressivo na derrota por 4 a 2 para a Roma nesta quarta-feira, e os números mostram que eles foram os principais responsáveis por carregar o Liverpool para a final.

Com o gol de Mané que abriu o placar da partida no Estádio Olímpico de Roma, os atacantes chegaram a 29 gols e se tornaram o trio mais artilheiro da história da Liga dos Campeões. São 10 de Salah, 10 de Firmino e outros nove do senegalês.

O tridente do Liverpool ultrapassou a marca de Cristiano Ronaldo, Benzema e Bale, que fizeram 28 pelo Real Madrid na temporada 2013/14.

Vale destacar a coletividade e o entrosamento do trio comandado por Jürgen Klopp, com o número de gols distribuído quase que de forma idêntica – Mané tem um a menos que Firmino e Salah. No Real, 17 foram só de Cristiano Ronaldo naquela temporada, enquanto Bale e Benzema marcaram seis e cinco, respectivamente.

É difícil assistir a uma partida do Liverpool sem gol de pelo menos um dos três. Nesta temporada da Liga dos Campeões, por exemplo, o fenômeno aconteceu em apenas três partidas.

Depois da partida que valeu a classificação para a final, Jürgen Klopp elogiou bastante Sadio Mané, embora acredite que ele e os companheiros de ataque possam render muito mais.

- Mané é um jogador excepcional, de uma importância inacreditável. Não só ele, mas o Mo (Salah), Bobby (Firmino) e outros do elenco. Mas podemos jogar muito melhor. Que jogo do Mané, um gol marcado, se envolveu em boas situações. Mas todos os contra-ataques... Todos nós sabemos que Mo, Bobby e Sadio podem fazer melhor. Não fomos pacientes o bastante. Mas ele (Mané) é um jogador muito, muito importante. Eu amo esse garoto – declarou o comandante.

Artilheiro e... garçom

Mohamed Salah vive um momento sem precedentes e é apontado com justiça como principal destaque do finalista Liverpool, mas Roberto Firmino não fica muito atrás. Em número de gols, os dois estão empatados na Liga dos Campeões. Mas o que tem diferenciado o brasileiro é a qualidade na hora do último passe. A famosa assistência.

Salah vem desequilibrando na temporada (Foto: Reuters) Salah vem desequilibrando na temporada (Foto: Reuters)
Salah vem desequilibrando na temporada (Foto: Reuters)
Firmino deu oito passes para gol e só não é o garçom da competição porque Milner tem uma assistência a mais – ajuda o fato de que o capitão do Liverpool cobra a maioria dos escanteios, é bem verdade.

Na saída de campo, Firmino reconheceu o que já era esperado: vive a melhor fase da carreira.

– Sim, sim (é o meu melhor momento). Passo a passo estou realizando meus sonhos e dando meu melhor em campo – declarou ele.

Globo Esporte