segunda-feira, 4 de julho de 2016

Ponto de Opinião: O desafio do amor a camisa contra o mercado do futebol

(Foto: CRISTIANO ANDUJAR / Agência Estado)


O Campeonato Brasileiro de 2016 era considerado um ponto chave para os clubes após várias reclamações dos times, jogadores e técnicos dos inúmeros problemas causados pela péssima arbitragem que o campeonato teve em 2015. Em meus tempos de jornalismo, nunca antes vi uma movimentação tão grande dos clubes brasileiros em bater de frente com os supostos "interesses" da CBF (vide Primeira Liga).

Ao contrário do que era esperado, o ano de 2016 mostra um “mais do mesmo” dos árbitros e assistentes, e parece que o sinal de alerta foi ignorado pela Confederação. Como se isso não bastasse, a seleção brasileira mais uma vez mostrou como o fiasco da copa de 2014 ainda repercute, após ser eliminada ainda na fase de grupo, da edição centenária da Copa América, em um grupo onde contava com Haiti, Equador e Peru.

Seleção a parte, o Campeonato Brasileiro continua a protagonizar episódios lamentáveis no quesito polêmicas. A última foi a reclamação de jogadores do Flamengo, durante e após o jogo contra o Corinthians, sobre a arbitragem de Héber Roberto Lopes que, convenhamos, não é de hoje que o árbitro é questionado por vários clubes, e mesmo assim a CBF não deu uma “esfriada” nele.

Outra polêmica foi a expulsão do atacante Fred no jogo do Atlético Mineiro contra o Figueirense no Orlando Scarpelli. O jogador atleticano se enroscou com o defensor do Figueira e levou o vermelho direto aplicado por Rafael Traci. Em certas ocasiões, como essa, o jogador fala demais e faz de menos. Com o braço, Fred da uma cotovelada no adversário. Expulsão bem aplicada.

Agora, o que vemos no futebol é um jogo de interesses e pouco futebol nos pés. A movimentação por uma melhoria tem que acontecer dentro de campo, pois as situações extra-campo não irão mudar enquanto o futebol não ser de qualidade. Hoje, muitos atletas jogam no individualismo, procurando serem as estrelas da partida, mas esquecem de que o futebol é um jogo de coletividade.

Novos problemas

Para aumentar o barulho, a Rede Globo resolveu complicar a vida do Fluminense. A equipe entra em campo nesse meio de semana pela Copa do Brasil contra o Ypiranga-RS. No entanto, a partida, que deveria acontecer no Estádio Giulite Coutinho, em Mesquita, região metropolitana do Rio de Janeiro, teve seu local alterado a pedido da emissora. O comunicado informou que "por questões de logística, operação e segurança", o jogo será transferido para Volta Redonda, onde a maioria dos jogos do tricolor estão sendo realizados. Por outro lado, o Fluminense desaprovou a mudança, alegando que o público não comparece aos jogos em Volta Redonda. No último sábado, por exemplo, apenas 917 torcedores pagaram ingressos.

Existem sim problemas na CBF e em Federações estaduais, e isso precisa mudar, mas a mentalidade do jogador precisa ser diferente para um futebol diferente. Se a procura é para um Brasileirão melhor, que as mudanças aconteçam agora e tenho reflexos em 2017, ou teremos mais um ano conturbado e difícil de acreditar.