segunda-feira, 29 de agosto de 2016

Chefe defende Verstappen e lembra que Vettel já foi alvo por agressividade

(Foto: Mark Thompson/Getty Images)


O chefe da Red Bull, Christian Horner, saiu em defesa de seu piloto, Max Verstappen, criticado após uma série de manobras agressivas durante o GP da Bélgica. Para o dirigente, o fato dos comissários não terem sequer investigado nenhuma das manobras significa que o holandês esteve dentro dos limites das regras - ainda que tenha de reconsiderar suas atitudes no futuro.

"Foi no limite, e ele escapou, os comissários ficaram satisfeitos. Então se houvesse algum problema ou conflito, tenho certeza de que Danny Sullivan é um cara experiente, e ele teria levado isso adiante ou Charlie Whiting teria reportado para os comissários. Ele se safou, mas tenho certeza de que vai dar uma olhada e aprender para corridas futuras", disse Horner.

Na Bélgica, Verstappen se envolveu em disputas fortes com ambos os pilotos da Ferrari, que o criticaram. Kimi Raikkonen chegou a dizer que o piloto de 18 anos só vai aprender quando causar um acidente sério.

"Disse para que ele não conte para ninguém onde vai ficar em Monza porque tenho certeza que haverá alguns italianos bravos", brincou seu chefe. "Não houve nenhum grande problema, caso contrário os comissários teriam feito algo. Já vimos antes que anda no limite, e é algo que todos os pilotos seriamente ambiciosos têm com ele."

Horner comparou Verstappen a Sebastian Vettel, que também foi criticado na Bélgica, em 2010, quando causou uma batida com Jenson Button.

"Lembro quando Sebastian foi criticado aqui há alguns anos, e houve outros pilotos na história que demonstraram esse espírito de lita, e acho que é parte do motivo pelo qual tivemos um público tão grande na corrida."

UOL Esporte