segunda-feira, 11 de junho de 2018

O mais atrasado da Copa, estádio de Samara ainda recebe últimos ajustes

(Foto: Bruno Diniz)


O estádio de Samara foi o último a ser entregue para a Copa do Mundo e ainda não está totalmente pronto para o primeiro jogo do grupo E, entre Costa Rica e Sérvia. As equipes farão um treino de reconhecimento do gramado no sábado, mas, nesta segunda-feira, o que se viu foi uma arena com muito trabalho a ser feito.

O tradicional “envelopamento” feito pela Fifa em seus eventos ainda está longe de acabar. Os primeiros banners vermelhos com a logomarca do Mundial estão sendo instalados, assim como aparelhos de ar-condicionado. Alguns setores de imprensa e plataformas de transmissão ao vivo também passavam por montagem.

Como toda obra em fim de construção, o estádio de Samara precisará passar por trabalho exaustivo de limpeza. Muita poeira ainda cobre as cadeiras e o chão da arena. Funcionários utilizam carrinhos para varrer e aspirar a sujeira do concreto.

Nas áreas internas do estádio, como vestiários, ambulatório e salas para o staff da Fifa, técnicos instalam as redes de internet e sinal de televisão.

Por outro lado, o gramado parece impecável. No começo da manhã, máquinas estavam a postos para fazer o trabalho de iluminação na grama. As traves ainda não foram colocadas.

O estádio de Samara custou R$ 1,16 bilhão e foi entregue no dia 28 de abril, 47 dias antes da abertura da Copa, e sediará seis partidas (quatro na fase de grupos, oitavas de final e quartas de final). Costa Rica e Sérvia fazem o primeiro jogo da arena no Mundial no domingo, às 9h (horário de Brasília).

Globo Esporte