segunda-feira, 25 de junho de 2018

Técnico do Irã pede expulsão de Cristiano Ronaldo e fim do VAR: "Não funciona"

 (Foto: REUTERS/Lucy Nicholson)


O Irã lutou, mas não foi dessa vez. A equipe comandada por Carlos Queiroz está eliminada da Copa do Mundo da Rússia, após empatar em 1 a 1 com a seleção de Portugal, em um jogo com emoção até o último minuto. Após Quaresma abrir o placar com um belo gol de trivela para os portugueses, os iranianos igualaram aos 47 minutos do segundo tempo, em pênalti marcado após revisão do VAR e convertido por Ansarifard.

Apesar da queda, o técnico dos iranianos saiu de campo com uma mistura de sentimentos. Por um lado satisfeito com o desempenho e a entrega exercida por seus jogadores dentro de campo, mas revoltado com atuação da arbitragem.

Aos 35 minutos do segundo tempo, o árbitro de vídeo pediu revisão em lance que Cristiano Ronaldo dá uma suposta cotovelada em cima de Pouraliganji. Após assistir a repetição da jogada, o juiz de campo mostrou apenas cartão amarelo para CR7 (confira no vídeo abaixo), o que indignou o treinador do Irã.

Carlos Queiroz, inclusive, fez questão de fazer um apelo à Fifa e pedir o fim do VAR. Para ele, nas circunstâncias em que se encontra hoje, não está funcionando.

- E a gente volta à velha história da minha filha. A minha filha não pode estar "um pouco" grávida. Ou está ou não está. É cartão vermelho. A questão para mim é que o caso não é sobre árbitros. É sobre atitude e caráter - disse Queiroz em entrevista coletiva.

A principal reclamação do técnico diz respeito ao fato de ninguém poder escutar a conversa entre o juiz de campo e os árbitros de vídeo.

- As decisões precisam ser claras para todos. Na minha opinião, Sr. Infantino e Fifa: todos concordam que o VAR não está indo bem. Essa é a realidade. Quando tem uma decisão do VAR, eu preciso saber a conversa que eles estão tendo. As pessoas precisam saber o que está acontecendo. Não é "é uma cotovelada, mas tome cuidado".

Mas a entrevista coletiva do técnico não foi só de críticas à arbitragem. Queiroz também fez questão de valorizar a luta de seus jogadores dentro de campo e acredita que o placar não foi o resultado mais justo.

- Os jogadores do Irã estão de parabéns. Foi um jogo digno de Copa do Mundo. Pela disciplina, atitude, pela maneira com que o Irã controlou o jogo, se tivesse de haver um vencedor nesse jogo, o vencedor deveria ser o Irã. Controlamos o jogo, os passes. Em termos de organização, de competitividade, de atitude, decisões, mentalidade, acho que merecemos ganhar o jogo, mas parabéns a Portugal. - disse.

O Irã terminou a Copa do Mundo na terceira colocação do Grupo B, com três pontos. A equipe venceu o Marrocos por 1 a 0 na primeira rodada, mas foi derrotada pelo mesmo placar por Espanha e Portugal.

Confira outros tópicos da entrevista de Carlos Queiroz:

Futuro incerto

- Recebi uma proposta para extender meu contrato por mais seis meses. Eles me deram essa confiança por mais seis meses. Mas agora não é hora de falar sobre o futuro, é hora de falar do presente. É o momento certo para agradecer meus jogadores, que são fantásticos. Agradecer também os torcedores. Não tenho palavras para descrever esse momento. Como vocês podem ver, não sou um bom perdedor. Não gosto de sair perdedor. Não gosto de ser perdedor. Odeio.

Na torcida por Portugal

- Parabéns a Portugal. Depois desse jogo, ganharam mais um torcedor. Espero que Portugal vá para a final. Desejo boa sorte e que ganhe o Mundial - disse o técnico português.

Globo Esporte