quarta-feira, 20 de junho de 2018

Vitória sobre a Áustria pesou para Tite manter escalação contra a Costa Rica

 (Foto: EFE)


A similaridade do sistema de jogo entre Áustria, no último amistoso antes da Copa do Mundo, e Costa Rica, adversária desta sexta-feira, em São Petersburgo, garantiu à formação da estreia mais uma chance de ser titular. Tite não fará mudanças na equipe que empatou por 1 a 1 com a Suíça, no último domingo.

A boa atuação na vitória por 3 a 0 sobre os austríacos pesou na decisão. Aquele amistoso foi encarado como um teste justamente para enfrentar os costarriquenhos, e o Brasil venceu com desenvoltura e ótima atuação de seus homens de frente: Coutinho, Willian, Neymar e Gabriel Jesus.

Tite detectou problemas no meio-campo da Seleção contra a Suíça, e tem, no banco de reservas, opções para mexer no setor: Renato Augusto, Fernandinho e Fred. Entretanto, a forma de jogar da Costa Rica foi fundamental para que a escalação fosse mantida.

Contra uma linha de cinco defensores, a Seleção precisará ter amplitude. Ou seja, jogadores que atuem bem abertos pelos lados do campo, para tentar criar espaços de infiltração na zaga da Costa Rica. Por isso, a presença de Willian passa a ser importante taticamente.

Outro aspecto que deu certo em Viena e será repetido é a presença de Coutinho por dentro. O meia encontrou espaços para jogar e foi o melhor em campo.

Isso não significa que mudanças estejam descartadas para os próximos jogos. Com o meio-campo sob alerta e Firmino dando continuidade à boa temporada na Europa, Tite analisa a possibilidade de mexer na equipe.

Veja as informações da seleção brasileira para o jogo contra a Costa Rica:

Local: Arena Zenit, em São Petersburgo
Data e horário: sexta-feira, às 9h (de Brasília)
Provável escalação: Alisson, Danilo, Thiago Silva, Miranda e Marcelo; Casemiro; Paulinho, Philippe Coutinho, Willian e Neymar; Gabriel Jesus. Técnico: Tite
Pendurado: Casemiro
Arbitragem: Bjorn Kuipers, auxiliado por Sander Van Roekel e Erwin Zeinstra (todos da Holanda)
Transmissão: TV Globo (narração de Galvão Bueno; comentários de Casagrande, Ronaldo e Arnaldo Cézar Coelho; reportagens de Tino Marcos, Mauro Naves, Eric Faria e Marcos Uchôa), SporTV (narração de Luiz Carlos Júnior; comentários de Lédio Carmona e Ricardinho; reportagens de André Hernan e Marcos Uchôa) e GloboEsporte.com