sexta-feira, 6 de julho de 2018

Atuações: Fernandinho vai mal, e Renato Augusto entra tarde na Seleção

(Foto: Reuters)


Alisson: se tinha sido pouquíssimo exigido e sofrido um único gol até então na Copa, o goleiro foi vazado duas vezes em 30 minutos. Porém, não teve culpa direta em nenhum. Nos acréscimos, correu à outra área, mas chegou depois que o escanteio foi cobrado.
Nota: 5,5

Fagner: o lateral-direito sofreu muito para marcar Hazard, e mais ainda quando tentou se lançar ao campo ofensivo e viu o adversário aproveitar contra-ataques. Melhorou no segundo tempo, quando foi menos ameaçado.
Nota: 5,5

Thiago Silva: esteve perto de abrir o placar em um lance quase sem querer, em que a bola acertou a trave direita. Atrás, assim como Miranda, teve que se multiplicar muitas vezes nos contragolpes adversários.
Nota: 6,5

Miranda: logo na primeira disputa com Lukaku, ficou para trás. Mas, no decorrer da partida, foi firme quando precisou marcá-lo pelas costas. Não foi possível anulá-lo no primeiro tempo, sobretudo porque o atacante belga não guardou posição, mas praticamente não o deixou respirar nos 45 minutos finais.
Nota: 6,0

Marcelo: de volta ao time depois de ter travado a coluna nos minutos iniciais do terceiro jogo da primeira fase, o lateral-esquerdo abusou de cruzamentos para o meio da área, principalmente quando o placar passou a ser adverso.
Nota: 5,5

Fernandinho: o substituto do suspenso Casemiro teve um jogo para se esquecer. Depois de ter entrado bem nas últimas partidas, ele começou seu calvário com um gol contra. Depois, teve mais de uma chance de matar o contragolpe do segundo gol, mas foi facilmente driblado por Lukaku. Para piorar, teve erros incomuns de passe.
Nota: 3,0

Paulinho: de novo, jogou menos do que já mostrou saber. Não foram poucos os momentos em que tinha opção de passe mais à frente e buscou algum companheiro mais próximo, sem ganhar terreno. Foi substituído por Renato Augusto.
Nota: 4,5

Coutinho: faltou-lhe espaço no último terço do campo diante da marcação belga. A princípio, a saída quase sempre foi apelar à sua arma principal: as tentativas de finalização de fora da área. Mas foi numa bola levantada na medida que ele encontrou Renato Augusto por trás da zaga para o primeiro gol brasileiro. Depois, perdeu chance incrível de empatar.
Nota: 6,0

Willian: sem muito sucesso nos cruzamentos da linha de fundo, deixou a ponta para buscar a bola por dentro em alguns momentos, o que também não deu certo. Ainda tentou ajudar como pôde na marcação, mas foi sacado no intervalo para a entrada de Firmino.
Nota: 5,0

Neymar: antes do apito inicial, ergueu os braços pedindo barulho à torcida. Parecia querer jogo. Chamou faltas no começo e cobrou escanteios perigosos, mas não foi decisivo antes do intervalo. No segundo tempo, seguiu tentando, mas muitas vezes nem o controle da bola teve.
Nota: 5,5

Gabriel Jesus: como vinha sendo desde o início da Copa, contribuiu principalmente com a marcação do que ofensivamente. No segundo tempo, aberto pela ponta direita, fez uma bela jogada dentro da área, mas pediu pênalti não marcado na sequência e deu lugar a Douglas Costa, terminando a Copa sem um gol sequer. 
Nota: 4,5

Firmino: teve uma boa chance de marcar, num giro de costas dentro da área. Se empatasse, poderia levar a partida à prorrogação. 
Nota: 5,0

Douglas Costa: assim que entrou pelo lado direito, deu mais velocidade ao time e o deixou mais equilibrado, já que a tendência da Seleção é quase sempre acionar o lado de Neymar e Coutinho. Não fosse a lesão em sua estreia, certamente teria agregado mais à equipe na Copa.
Nota: 7,0

Renato Augusto: demorou a ser chamado por Tite. Talvez por isso também tenha entrado com tanta vontade. Fez o primeiro gol brasileiro, de cabeça, e comemorou muito. Pouco depois, teve outra boa chance da entrada da área, mas bateu à direita.
Nota: 7,0

Globo Esporte