terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Amistoso da seleção gera atrito entre Globo e CBF

(Foto: Reprodução)


A transmissão do amistoso da próxima quarta-feira entre Brasil e Colômbia abriu um racha entre a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e a Globo. A partida foi idealizada pelos dois países como forma de homenagear as vítimas do acidente da Chapecoense, no fim do ano passado. Toda a renda gerada pelo jogo será destinada às famílias.


Na semana passada, a CBF decidiu abrir para todas as emissoras interessadas o sinal daquele que está sendo chamado de “Jogo da Amizade”. Ou seja, os direitos de transmissão da partida marcada para o Estádio Nilton Santos (Engenhão) serão repassados de maneira gratuita para canais abertos e fechados do Brasil e exterior.

Inicialmente, a CBF tentou vender por cerca de 2 milhões de reais a transmissão do jogo para a Globo, que recusou a proposta. Há décadas a emissora transmite os jogos da seleção com exclusividade, mas a partida entre Brasil e Colômbia – marcada de maneira extraordinária – não estava prevista em contrato. Incomodada com a atitude da parceira histórica, a cúpula da CBF decidiu retaliá-la com a distribuição do sinal para seus concorrentes.

Entre as emissoras abertas, Band e Rede TV! vão transmitir o jogo na próxima quarta-feira. SBT e TV Brasil ainda não decidiram. Já a Record prefere exibir o Programa do Gugu na noite de quarta, mas o jogo estará disponível no seu canal fechado (Record News). Na TV fechada, além do SporTV, Fox Sports e ESPN exibirão a partida.

A desavença é mais um episódio de atrito da Globo com o mundo do futebol nos últimos doze meses. Desde novembro de 2015, a emissora desligou o executivo Marcelo Campos Pintos, responsável por fechar todos os contratos de direitos de transmissão do futebol nos últimos vinte anos.

No mesmo período, a Globo foi alvo de um inédito – e bem-sucedido – movimento para eliminar a sua hegemonia na compra de direitos de campeonatos de futebol. O Canal Esporte Interativo fechou contratos para transmitir a partir de 2019 jogos de dezesseis  times dos campeonatos brasileiros das séries A, B e C (entre eles Inter, Palmeiras e Santos). “Com Campos Pinto, a Globo jamais teria perdido tantos contratos. E as suas concorrentes também nunca transmitiriam jogos da seleção”, afirma uma fonte que acompanha as negociações.

A CBF admite que negociou com a Globo a transmissão exclusiva do jogo, mas nega que tenha tratado de valores. As conversas foram abertas porque o contrato para a exibição de amistosos da seleção venceu recentemente. Oficialmente, a CBF também informa que as são ótimas as relações com a Globo e que um exemplo foi o anúncio conjunto em dezembro da nova premiação dos clubes na Copa do Brasil (a maior de todos os tempos).

Veja