quarta-feira, 19 de abril de 2017

Intransponível, Juventus segura o Barcelona no Camp Nou e avança na Champions

(Foto: Reuters)


Rolou a bola, e começou a batalha incessante do Barcelona contra o tempo. Nas oitavas, diante de um atordoado Paris Saint-Germain, um caminho parecido - e até mais improvável - já havia sido trilhado. Mais de 96 mil torcedores no Camp Nou presenciaram os minutos correrem com agonia. Ora, dois minutos e nada de gol do Suárez? Intervalo, e cadê o calcanhar salvador de Iniesta? O grande problema é que o time catalão era exatamente o mesmo da memorável Remontada, o adversário é que não: a Juventus provou nesta quarta-feira ter um sistema defensivo praticamente intransponível. E de nada adianta ter Messi, Suárez, Neymar... Buffon, um dos melhores goleiros do planeta, sequer foi tão exigido. Com a vitória inquestionável por 3 a 0 no jogo de ida, a Juve nada mais fez que segurar os espanhóis no Camp Nou, garantir o 0 a 0 e assegurar sua vaga nas semifinais da Liga dos Campeões.


Lionel Messi nunca havia marcado um gol em Buffon. E continua sem marcar. Com o incômodo tabu pesando sobre os ombros, o craque até tentou, como num chute de esquerda no final do primeiro tempo. Mas, como em outras inúmeras vezes, parou no paredão italiano.

Juventus, Monaco, Real Madrid e Atlético de Madrid são os semifinalistas da Liga dos Campeões 2016/2017. Um sorteio que acontece na manhã da próxima sexta-feira, às 7h (de Brasília) define os confrontos da próxima fase. Os jogos serão nos dias 3, 4, 9 e 10 de maio.

A exemplo da partida de volta contra o Paris Saint-Germain, Neymar tentou chamar a responsabilidade para si em alguns momentos do jogo desta quarta. E fez, no resumo da ópera, uma boa partida. Mas parece ter confundido gana com excesso de vontade e levou mais um cartão amarelo, desta vez por conta de entrada dura em Pjanic - se o Barça avançasse, ele não jogaria o primeiro jogo da semifinal. Ao final do duelo, não segurou as lágrimas e precisou ser consolado.

Globo Esporte