sexta-feira, 20 de maio de 2016

Atlético Nacional vira sobre Rosario e enfrenta SP na semi da Libertadores

(Foto: Ricardo Mazalan/AP)


O adversário do São Paulo na semifinal saiu de uma partida que foi emocionante até o último minuto. Depois de sair atrás do placar, o Atlético Nacional fez o que parecia improvável e venceu por 3 a 1, sendo que o último gol saiu já nos acréscimos da partida realizada no Atanasio Girardot, nesta quinta-feira (19).

O primeiro gol da partida saiu dos pés de Marco Rubén, logo no início do primeiro tempo. Próximo ao intervalo, Macnelly Torres empatou o duelo. Mais tarde, Guerra fez o segundo e Berrío foi o herói colombiano, garantindo a classificação.

Na sequência, uma confusão tomou conta do confronto, resultando na expulsão de Berrío, que na comemoração do gol foi provocar o goleiro Sosa.

Mais cedo, o Boca Juniors eliminou o Nacional-URU nos pênaltis e agora espera o vencedor de Pumas x Independiente Del Valle-EQU para saber quem enfrentará na semifinal. As duas equipes se enfrentam na próxima terça-feira (25).

DECISÃO SERÁ LONGE DO MORUMBI

Com a classificação do Atlético Nacional, o São Paulo precisará fazer o resultado na primeira partida.  O time colombiano fez a melhor campanha da fase de grupos e, por isso, decidirá a semifinal dentro de seus domínios. O primeiro jogo, que terá mando do São Paulo, acontecerá na primeira semana de julho, após a parada para a disputa da Copa América.

UM GOL CALA...

O Rosario Central precisou de apenas oito minutos para complicar, e muito, a vida do Atlético Nacional. Em disputa de bola, Copete ficou no chão e acabou parando a bola com a mão. O árbitro uruguaio Daniel Fedorzuck marcou pênalti, irritando os jogadores do time colombiano. Na cobrança, o capitão Marco Rubén deslocou o goleiro Armani e aproximou o time argentino da vaga para a semifinal – nesse momento, o Atlético Nacional precisava fazer três gols para avançar.

...E O OUTRO INCENDEIA O ATANASIO GIRARDOT

A torcida do Atlético Nacional já estava apreensiva quando o empate saiu aos 45 minutos do primeiro tempo. Antes disso, Guerra acertou belo passe e Macnelly Torres perdeu o gol. Na sequência, Marlos Moreno chutou para a defesa de Sosa. Quando parecia que o duelo ia para o intervalo com vitória parcial do Rosario Central, Berrío fez boa jogada pela direita e cruzou para Macnelly Torres empurrar para o fundo do gol e enlouquecer o Atanasio Girardot.

RETRANCA ARGENTINA COBRA SEU PREÇO

A postura do Rosario Central desde o começo do segundo tempo cobrou um preço caríssimo. Com a vantagem no confronto, o time argentino abdicou de atacar e permitiu que o Atlético Nacional fosse para cima. E não demorou nem cinco minutos para o confronto ficar ainda mais tenso. Após uma grande falha de domínio de Donatti, a bola sobrou para Marlos Moreno, que rolou para Guerra fazer o segundo gol do Atlético Nacional na partida.

E a pressão do Atlético Nacional só aumentou. Aos 37 minutos, Mejía esteve muito perto de balançar as redes. Livre de marcação, o meia teve tempo de ajeitar o corpo e soltar a bomba de fora da área. A bola passou muito perto de Sosa, que pulou nela, mas não chegou nem perto de tocá-la.

Quando o jogo já estava no puro desespero para o Atlético Nacional, que inclusive tinha um jogador a mais – Burgos foi expulso -, o improvável aconteceu, a virada veio. Ibarguén tocou de cabeça, um desvio de cabeça aconteceu no meio do caminho e a bola sobrou para Berrío balançar as redes e classificar os colombianos.

GOL RESULTA EM CONFUSÃO E DUAS EXPULSÕES

Barrío não se conteve ao marcar o gol da classificação do Atlético Nacional. Tomado pela emoção da partida, o atacante se aproximou do goleiro Sosa, que ainda estava no chão, e começou a provocá-lo. A atitude gerou uma confusão e os jogadores do Rosario Central partiram para cima de Barrío, que acabou agredido por Musto. O atacante, no entanto, foi o único a receber o cartão vermelho.

Ao tentar recomeçar a partida o árbitro Daniel Fedorzuck não encontrava nem sequer uma bola. Com ela rolando, mais uma expulsão. Incomodado com a eliminação iminente, Lo Celso acertou um soco nas costas de Mejía e também viu o cartão vermelho. No soar do apito final, os jogadores do Rosario Central tentaram iniciar uma nova confusão, mas foram controlados.

UOL Esporte